I m uma menina à procura de uma namorada

Utilize o filtro de pesquisa do vivalocal, escolha a zona de Cascais e o que procura: Orgia, sexo a quatro, swing, troca de casais. Se voc√™ e a sua parceira est√£o √† procura de animar a sua vida sexual, o vivalocal pode ajud√°-lo. Encontre hoje um casal sensual para swing e tenha uma noite de prazer inesquecivel. Uma menina mulher atr√°s da sua Felicidade ‚ô•ÔłŹ Quero um amor verdadeiro sem mentiras e que seja rec√≠proco. ... Ola meu nome √© raquel tenho 37 anos sou morena parda 1.68 de altura e gordinha estou a procura de algu√©m pra namorar s√©rio quero homen Solteiro e sem filhos e sem v√≠cios meu n√ļmero √© 9974:99866 ... Se voc√™ procura um ... Caso seja capaz de se simpatizar com a hist√≥ria de outras meninas que tamb√©m est√£o √† procura de uma companheira, voc√™ far√° mais contatos e estar√° sujeita a encontrar novas oportunidades. Mais importante que isso, voc√™ se tornar√° parte de uma comunidade que estar√° ao seu lado para apoi√°-la em qualquer situa√ß√£o. Imponha uma presen√ßa constante na vida dela. Caso voc√™s s√≥ se vejam de vez em nunca, a menina mal vai pensar em voc√™. Para ter uma chance, voc√™s precisam ter um contato mais frequente. Entre no grupo de amigos dela. Aproxime-se dos melhores amigos da garota. Se eles forem muito com a sua cara, √© prov√°vel que ela tamb√©m passe a gostar de ... E porque voc√™ √© a √ļnica menina com uma flor que eu conhe√ßo, eu escrevi uma can√ß√£o t√£o bonita para voc√™, 'Minha namorada', a fim de que, quando eu morrer, voc√™, se por acaso n√£o morrer tamb√©m, fique deitadinha abra√ßada com Nounouse cantando sem voz aquele peda√ßo que eu digo que voc√™ tem de ser a estrela derradeira, minha amiga e ... O nosso sistema detectou que voc√™ raramente responde a novas conversas. Especialmemte quando se trata de mensagens vindas de novos membros, pedimos que lhes d√™ as boas vindas para que eles n√£o se sintam perdidos.. Nota: Voc√™ pode usar o AOutraMetade quando e como quiser, e o site continuar√° sendo gr√°tis. O nosso √ļnico pedido √© que voc√™ participe, sendo ativo nesta comunidade.

ūüė≥ūüĎČūüŹĽūüĎąūüŹĽ

2020.09.10 23:51 Helamaa ūüė≥ūüĎČūüŹĽūüĎąūüŹĽ

a car√™ncia t√° imoral e eu t√ī procurando uma namoradinha, se vcs conhecerem alguma mina que tenha esses requisitos, me avisem redpillada channer, dogoleira, wgtow, ancap, , jogadora de poker, bv, virgem, sem amigos, crente, f√£ da UDR,magrela, footlet,escuta Chico Buarque, weeabo, hikkimori, otaku, gameri, hetero,federal,trader de bitcoin,hacker, defacer, cubista, penspinner, recordista de memoriza√ß√£o de baralhos, timida, m√£e de pet, hidratada, n√£o consumidora de a√ßucar, saud√°vel, youtuber, netolover, pooper, cambista, shitposter, anarquista, materialista, roquista, travesquista, mono talon vlogger, blogueira, e-girl, intolerante a lactose, intolerante a gluten, grinder e hipn√≥loga, fiel, niilista existencialista, metaleira, headbanguer, pelo no suvaco, patriota, masoquista, ballbuster, jogadora de minecraft, buceta fedida, que n√£o tenha medo de chuta minhas bolas pelo amor de deus eu nao consigo encontrar uma menina pra chutar minhas bolas por favor deus eu imploro nao agusnto mais isso nao eh um meme porque voces tem medo de me chutar no saco. Ra√ßa: n√≥rdica Altura: 170cm+ Pele: 1 ou 2 (Fitzpatrick) Olhos: 7+ (Martin) Cabelos: qualquer cor, mas apenas lisos ou ondulados (FIA) Nariz: reto ou virado para cima Cr√Ęnio: dolico ou mesocef√°lico √ďculos: n√£o Aparelhos: n√£o Queixo furado: n√£o Covinhas: n√£o Orelha presa: n√£o Orelha de abano: n√£o Franja em V: n√£o Pelos no corpo: muito pouco Tatuagem: n√£o Gradua√ß√£o: apenas cursos voltados √† pesquisa Faculdade: apenas bem conceituadas Habilidades matem√°ticas: sim Idiomas: flu√™ncia em ingl√™s e mais outro idioma √Ālcool, cigarro, drogas: n√£o, nenhum Personalidade: introvers√£o Cultura: europeia ocidental RELIGI√ÉO: Crist√£ Ortodoxa Gostar de escutar rog√©rio skylab:
Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab. O humor √© extremamente sutil e, sem uma compreens√£o s√≥lida de filosofia moderna, a maioria das piadas vai passar despercebida pelo telespectador m√©dio. H√° tamb√©m a vis√£o niilista de Rog√©rio, que est√° habilmente tecida em sua caracteriza√ß√£o - sua filosofia pessoal se baseia fortemente na literatura de Nododaya Volya, por exemplo. Os f√£s entendem essas coisas; eles t√™m a capacidade intelectual para realmente apreciar a profundidade dessas piadas, para perceber que elas n√£o s√£o apenas engra√ßadas - elas dizem algo profundo sobre a VIDA. Como conseq√ľ√™ncia, as pessoas que n√£o gostam de Rog√©rio Skylab s√£o verdadeiros idiotas - √© claro que eles n√£o apreciariam, por exemplo, o humor no bord√£o existencial de Rog√©rio "Chico Xavier √© viado e Roberto Carlos tem perna de pau", que √© uma refer√™ncia cript√≠ca para o √©pico Pais e Filhos do russo Turgenev. Estou sorrindo agora mesmo imaginando um desses coitados simplistas co√ßando a cabe√ßa em confus√£o enquanto as m√ļsicas se desenrolam na tela de seu computador. Que tolos‚Ķ como eu tenho pena deles. E sim, a prop√≥sito, eu tenho uma tatuagem do Rog√©rio Skylab. E n√£o, voc√™ n√£o pode v√™-la. √Č s√≥ para os olhos das damas. E mesmo elas, precisam demonstrar de antem√£o que possuem um QI com diferen√ßa absoluta de no m√°ximo 5 pontos do meu (de prefer√™ncia para baixo).
Rotina, Habitos e interesses: Nofap + Banho Gelado + comer carne crua + comer virado pra parede + biohack + dormir no ch√£o + Jordan Peterson + mewing + HBD + PUA + jelq + dormir 5 horas por dia + caf√© gelado sem a√ß√ļcar + hipismo + compila√ß√£o mitadas En√©as + alho cru + podcast do Joe Rogan + redpill + Brain Force + Jejum + medita√ß√£o iasd + m√ļsicas para concentra√ß√£o, foco e intelig√™ncia + teste de QI da internet + grupos de linhagem viking do facebook + ficar longe do poste de internet 4G + youtube do varg vikernes + ess√™ncia de morango da turma da m√īnica no narguil√© + jogar vape na cara de todo mundo que tentar entrar no bloco da faculdade + 5 segundos de calistenia no deserto do atacama + darkcel + √≥culos do a√©cio na foto de perfil + ler quotes do nietzsche no brainy quote + criar galinha no quarto sem os pais saberem + Alho cru + uma colher de azeite quando acorda e outra antes de dormir + jejum de 24hrs a cada 72hrs + assistir VT no premiere logo que chega do est√°dio + canal Ultras World + LibreFighting + Operation Werewolf + comprar os artigos do Paul Waggener + Centhurion METHOD + humilliation exposure com a finalidade de criar uma crosta na sua mente capaz de desenvolver uma resili√™ncia que resiste √† humilha√ß√£o como se ela fosse nada + tomar banho descal√ßo em chuveiro de academia com ch√£o mijado + muscula√ß√£o caseira + hackear o sono + Empreender + 10 livros de auto ajuda por m√™s + PUA + Selo super f√£ da f√ļria e tradi√ß√£o + Biokinesis + 432hz music + Mexer o pau sem piscar o c√ļ + medita√ß√£o transcendental + veganismo + minoxidil para cultivar uma barba + filmografia Jason Stataham + assistir vikings + redpill + ir no cinema sozinho + treino saitama + coach qu√Ęntico + enema de caf√© + dieta lair ribeiro + agua alcalina + O M√©todo de Wim Hof + sabedoria hiperb√≥rea + artigos da Nova Resist√™ncia + Biblioteca do D√≠dimo Matos + dormir virado pra patede assoviando no escuro pra espantar o curupira + dar 3 pulinhos toda vez que levantar da cama + dizer am√©m quando um 1113 azul passar por voc√™ na rua + 100 flex√Ķes por dia + 6 meses de jelq + injacula√ß√£o guiada + sociedade thule + energia vril + chap√©u de alum√≠nio para se proteger das armas psicotronicas emitidas pela CIA + caderno de anota√ß√Ķes smiliguido + pedir a b√™n√ß√£o ao carteiro toda segunda de manh√£ + 3 horas de academia + 4 horas de corrida + mascar caf√© + exerc√≠cios penianos do Dr. Rey + maratona saga Rocky + trilha sonora saga Rocky + trilogia Mercen√°rios + filmes do Jason Statham + assoviar o hino do Palmeiras de ponta-cabe√ßa + intro do Canal do Nicola em loop + palestras do Antonio Conte + v√≠deos do Rodrigo Baltar + dicas do Gustavo Gambit + aulas de italiano + dormir ouvindo Ultraje a Rigor + ler Walden pelado na mata atl√Ęntica de madrugada + ouvir m√ļsicas em velocidade aumentada + canto gregoriano √°rabe + ensinar hino do botafogo pra calopsita + fritar comida com banha de porco + assistir videos de situa√ßoes de risco com a finalidade de se preparar para o perigo + Terapia Holistica com formandos da UFPR no Jardim Bot√Ęnico + Radiestesia para harmonizar vibra√ß√£o da casa + Metatron 432HZ no YouTube entoando a ora√ß√£o EU SOU + ler O C√≥digo da Vinci + Jesus Qu√Ęntico + Barra Fixa na pra√ßa de madrugada escutando audiolivro do Jordan Peterson na voz do cara dos Fatos Desconhecidos + grupo POPEYE AFIANDO A PIKA + MyInstants AEEE KASINAO + Memes do Fausto Silva + ler O Evangelho dos Animais + stories do Copini no Instagram + Canal SocialGames7 com Gustavo Gambit e CIA + textos de Raphael Machado (Nova Resist√™ncia) + ser ex-membro do grupo Comunismo Ortodoxo + Monja Coen + Fazer origami com papel do bis + perder dinheiro com maquina de pegar ursinho + fumar palheiro com o av√ī + quebrar palito de dente no meio depois que usar + rezar Pai Nosso em aramaico + tentar se comunicar com o ashtar sheran + virar catequista e passar Pl√≠nio Salgado para as crian√ßas + Limpeza de 21 dias de S√£o Miguel Arcanjo + arrancar a fimose comendo cu apertado de galinha caipira + Regata branca WifeBeater com cal√ßa jeans clara e bota marrom + Ingressar na legiao estrangeira + Comprar toras de eucalipto pra reproduzir o centurion method mas nunca come√ßar o treinamento + vender m√°quina de cart√£o de cr√©dito + ler os escritos do Unabomber + Escutar a discografia do Paul Waggener + ler todos os livros do Pavel Tsatsouline + ouvir rap eslavo de cunho pol√≠tico suspeito + caf√© com um cubo de manteiga dentro precedendo a primeira refei√ß√£o do dia + beber 2L de leite por dia + Stronglifts 5x5 + Dieta Cetog√™nica + Canal Jason PROJETO GIGA + Cd do TRETA + comprar torre de chopp no prensad√£o + 2 c√°psulas de Tadalafellas antes do sexo + s√≥ comprar comida japonesa importada pra dieta + comer arroz sem sal com peixe cru sem tempero enrolado em folha do fundo do mar + memes da p√°gina Dollynho Puritano + Deus Vult na capa do Facebook + acessar o dogolachan pelo computador da escola pra postar fanfic gay do Gilberto Barros + Trollar atendentes do mcdonalds no habbo hotel + ligar para o Motel Ast√ļrias perguntar quando custa a bolacha Bauducco que aparece no site + Mandar entregar pizza na Rua dos Tamoios casa n¬į18 com port√£o vermelho + cosplay de russo no Omegle pedindo pra mostrarem a bunda + Dormir imaginando uma linha pra fazer viagem astral + recitar Homero pra mendigo + tomar antibi√≥tico no caf√© da manh√£ + Meditar imaginando o raio de luz violeta que representa a energia transmutadora + Workshop Reiki do Canal Luz da Serra MULHERES TERRAPLANISTAS RALEM.
Primeiro de tudo! Vai tomar no cu, MULHERES terraplanistas! Junto com todas que me contrariaram nos √ļltimos meses falando "dur hur voc√™ n√£o sabe nada de paleontologia, vai assistir seus desenhos filipinos e n√£o encha o saco". TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! LERAM DIREITO? TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! A farsa ficou t√£o √≥bvia, que eles n√£o tem mais como esconder que TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! Alguns mais penas, outros menos penas, MAS TODOS TEM. E aproveitando no mesmo v√≠deo, N√ÉO TEVE METEORO PORRA NENHUMA! Provavelmente as mudan√ßas clim√°ticas naturais, junto com a separa√ß√£o gradual dos continentes, √© que extinguiu a mega-flora e a mega-fauna. E se teve algum meteoro, apenas acelerou o processo em uma regi√£o muito especifica. Agora s√≥ falta as ((especialistas)) e a (((Academia))) admitir que dinossauros nunca existiram e que foi tudo um erro grotesco de interpreta√ß√£o de pessoas que n√£o sabiam que caralhos eram aqueles esqueletos. S√£o apenas aves e mam√≠feros ancestrais de milh√Ķes de anos atr√°s. E antes que eu me esque√ßa, vai todo mundo que me contrariou tomar no cu!
GOSTAR DE MIM POR QUEM EU SOU E NAO PELA MINHA APARENCIA
Sério, de verdade, ser uma pessoa bonita não é fácil em nossa sociedade atual; não é só os olhares de desejo das mulheres e dos homens que me incomoda, e sim, o fato de ser só isso para as pessoas. Sou muito mais que apenas um cara bonito. Tenho qualidades além dessas, e saber que as pessoas não ligam para elas, pois estão entorpecidas de anseio pela minha formosura, me entristece muito.
Não suporto mais ser bonito. Tudo que eu queria era poder nascer de novo num corpo de uma pessoa feia, pois sério, vocês não sabem como me dói saber que por culpa de algo que nasceu em mim (a incrível beleza), serei rotulado eternamente por isso.
Eu trabalho, estudo, procuro, conheço, aprendo! Sou um ser-humano como qualquer outro e não só mais um rostinho bonito.
Pergunta antes de eu poder te namorar: Você é ocultista?
Essa é a pergunta de um milhão de dólares que raramente vejo sendo feita.
Se você ainda não for, pra se tornar minha namorada precisará ser e aqui está como fazer isso
√Č fato que a maior parte da literatura especializada ocidental acredita em Deus e Cristo, somente olhando-o por uma lente diferente. N√£o h√° um ritual que lhe aproxime de Deus, as coisas raramente s√£o t√£o simples. Entretanto, com estudo e medita√ß√£o o caminho come√ßa a ficar mais claro.
Entenda que não sou nenhum senhor da verdade, e o que te falo hoje posso descobrir ser mentira amanhã. Saiba também que um dos maiores problemas desse meio é a falta de um início claro, sendo as obras tidas como introdutórias porcarias completas. Dito isso, lhe respondo o seguinte:
  1. O caminho mais completo para se aproximar do que voc√™ quer come√ßa com no√ß√Ķes do pensamento Hel√™nico. Entenda que boa parte da vis√£o de mundo crist√£ vem da antiguidade cl√°ssica, principalmente as no√ß√Ķes de harmonia e belo. N√£o te pe√ßo para ler tudo o que j√° foi jogado ao ch√£o pelos gregos, mas saiba um pouco das origens das coisas. Tenha uma ideia b√°sica dos quatro humores gregos, e que essa √© uma das origens para atribuirmos personalidades aos elementos da natureza. Entenda um pouco dos seus deuses e Cosmos, porque eles ser√£o utilizados no futuro de forma metaf√≥rica em textos. Saiba que quando aparecer um hermafrodita em um texto especializado n√£o h√° conex√£o com desvios modernos, mas com um simbolismo mais antigo (Salvo engano, sua origem √© Plat√īnica. Mais especificamente, O Banquete, durante os discursos sobre amor).
  2. Entenda que boa parte da origem da magia ocidental vem da conflu√™ncia da cultura grega com a eg√≠pcia, incluindo a alquimia. A t√°bua esmeralda √© um texto obrigat√≥rio. Leia um pouco sobre o Axioma de Maria, A judia. Aprenda um pouco da simbologia alqu√≠mica, porque ser√° importante para voc√™ no futuro. √Č dentro da alquimia que ir√£o discursar sem final sobre a trindade (pelo menos os da corrente de Paracelso). N√£o se pretenda nenhum mestre dos espag√≠ricos, porque os qu√≠micos far√£o isso melhor do que voc√™. Entenda que n√£o havia essa separa√ß√£o absoluta entre o material e o espiritual, ent√£o os dois conhecimentos andaram juntos ao decorrer da hist√≥ria. Entenda tamb√©m que haviam escritores voltados especificamente para a alquimia espiritual, enquanto outros √† qu√≠mica.
  3. Estude a Cabala. Eu entendo que para alguns seja dif√≠cil dar aten√ß√£o √† Cabala Judaica com o surto conspiracionista chan√≠stico sobre a √≠ndole de todo um povo, mas querendo ou n√£o o juda√≠smo √© o Pai da f√© crist√£, sendo Jesus judeu. Entenda que a √°rvore da vida √© um estudo sobre Deus e suas emana√ß√Ķes, e dela vir√° uma boa parte de seu conhecimento.
  4. Leia as coisas atuais sobre o assunto. Dê atenção aos escritores herméticos, principalmente.
Ocultismo é um saco, pelo menos se você for estudar seriamente. Você pode perder a vida se tiver um projeto ambicioso como se aproximar de Deus.
Você também pode pular algumas etapas no que te falei. Sobre a parte do pensamento grego, saiba que boa parte é "dispensável". Dito isso, recomento que entenda um pouco sobre o funcionamento do Cosmos de Ptolomeu. Entenda também alguns dos símbolos planetários, porque seu entendimento irá lhe ajudar no futuro.
Pra me namorar também tem que gostar dos animes:
Akame ga Kill! Akarui Sekai Keikaku Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Criminale! Dog Style Domina no Do! Eden no Ori Evangelion Fullmetal Alchemist K-on! Naruto Shingeki no Kyojin Yu-gi-oh
Sobre assistir Yu-gi-oh; quando eu era adolescente, gostava (na época que passou na TV Globinho e era moda), mas hoje em dia não gosto mais; então não assistiria de novo.
Quanto às minhas lembranças marcantes de Yu-gi-oh:
Em 2003, Yu-gi-oh era moda e todo mundo na escola da quinta e da sexta série jogava com cartinhas piratas, já o pessoal da sétima e da oitava não se interessava. A propósito, em 2003 tiveram duas grandes modas de brinquedos baseados em animes, cartinhas de Yu-gi-oh e Beyblade. Outro brinquedo que todo mundo da quinta e da sexta série levava pra escola em 2003 depois que passou a moda de Yu-gi-oh e começou a moda da Beyblade era a Beyblade.
Outra lembrança marcante que tenho de Yu-gi-oh é que em 2003 na escola o pessoal criava suas próprias cartinhas, fazendo desenhos e estatísticas.
Fujimura-kun Mates Gantz Gou-Dere Bishoujo Nagihara Sora‚ô•ÔłŹ Higurashi no Naku Koro ni Kai: Matsuribayashi-hen Hitsugi no Chaika Ichigo 100% Ichinensei ni Nacchattara In Bura!: Bishoujo Kyuuketsuki no Hazukashii Himitsu Jigokuren: Love in the Hell Jinzou Shoujo JoJo no Kimyou na Bouken Part 4: Diamond wa Kudakenai JoJo no Kimyou na Bouken Part 5: Ougon no Kaze JoJo no Kimyou na Bouken Part 6: Stone Ocean JoJo no Kimyou na Bouken Part 7: Steel Ball Run Kaibutsu Oujo Lucky‚ėÜStar Mahou no Iroha! Mahou Tsukai Kurohime Monster Hunter Orage Mujaki no Rakuen Needless Zero Nyotai-ka Onihime VS Oretama Perowan!: Hayakushinasai! Goshujinsama‚ô™ Re:Marina Rosario to Vampire Saitama Chainsaw Shoujo Sankarea School Rumble Shingetsutan Tsukihime Shocking Pink! Shurabara! Sora no Otoshimono Sora no Otoshimono Pico Akame ga Kill! Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Dorohedoro Nekopara Pet Toaru Kagaku no Railgun Magia Record: Mahou Shoujo Madoka‚ėÜMagica Gaiden Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita.Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita. Isekai Quartet 2Isekai Quartet 2 Ishuzoku Reviewers Somali to Mori no Kamisama Eizouken ni wa Te wo Dasu na!Eizouken ni wa Te wo Dasu na! Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu.Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu. Jibaku Shounen Hanako-kun Haikyuu!!: To the TopHaikyuu!!: To the Top Darwin's GameDarwin's Game Kyokou SuiriKyokou Suiri Plunderer
PRE REQUISITO: GOSTAR DE FILMES DE FAROESTE.
IMPORTANTE: Se você gosta de filmes de super heroi, pare de ler e va se foder.
Se você é assim, fique longe de mim.
N√ÉO QUERO AS MULHERES QUE: As que falam palavr√Ķes As que fumam As que usam drogas As que postam foto com bebida Que bebem (menos ūüć∑, isso √© coisa de dama) As que v√£o para balada, festa, rave etc As que postam foto com decote ou sensuais
Há uma coisa que eu quero que você entenda sobre nós os homens.
Quando voc√™ colocar uma foto sua nua no facebook, fazendo uma pose gostosa, mostrando os seios ou como vemos em v√°rias fotos mostrando o bumbum ou deitada sedutoramente em sua cama, a √ļnica coisa que voc√™ faz √© que as pessoas tenham desejo sexual por voc√™, claro em A maioria dos casos por parte de homens.
Eu sei que voc√™ vai ficar t√£o emocionada com os 500 likes, 120 coment√°rios e as in√ļmeras mensagens privadas! Voc√™ vai querer postar cada vez mais fotos para se sentir cada vez mais no topo.
Mas há algo importante que você precisa saber:
Na verdade nenhum desses caras que gostam, comentam ou enviam mensagens privadas te ama. Tudo o que eles querem é usá-la e depois atirá-la para o lixo, para ser honesto nenhum deles a levaria para sua casa para ser sua esposa, acredite em mim, você para eles não é mais que uma menina de programa em busca de popularidade barata No Facebook.
Os homens ricos os que tem o que você procura "dinheiro" ou os pobres admiram as mulheres que se vestem com decência e se respeitam. Uma vestimenta decente que não revela muito o seu corpo, leva-os a amar e a respeitar-te, isto a simples vista nos diz que és uma mulher virtuosa, alguém a quem se pode levar para casa para ser esposa e mãe.
Isto em muitos casos diz-lhes que você foi criada com princípios morais e lhes dá detalhes do seu bom histórico familiar.
Eles n√£o se preocupam muito com a maquiagem excessiva, uma mulher digna de propor casamento sempre se distingue do monte, n√£o importa como.
Valoriza seu corpo, lembre-se que para encontrar diamantes é preciso cavar, respeita, e um verdadeiro homem vai te respeitar de um modo ou de outro.
Mas você terá muito respeito: Mulher, não mostre seu corpo no facebook, você não sabe que tipo de pessoas, venha suas coisas, você é uma mulher bela, não precisa de fotos, nem mostrar tanto, você pode conquistar com sua simpatia, com seu educación con seu sonrrisa,
As que j√° ficaram com amigos seus, ou que ficam com mais de 3 em um √ļnico ano As que n√£o trabalham ou estudam (ou que est√£o em um curso irrelevante de humanas) As que n√£o sabem o b√°sico de uma casa, como lavar, passar roupa, cozinhar, trocar fralda, etc As interesseiras As que est√£o pedindo presentes sempre As que j√° est√£o comprometidas As n√£o gostam de crian√ßas ou dizem que n√£o querem ter filhos (pessoas que n√£o querem ter filhos n√£o s√£o confi√°veis) As que tem piercing de bufalo
submitted by Helamaa to smurfdomuca [link] [comments]


2020.06.09 11:23 InezinhaDirectioner O Menino... Estranho ;-; (não tenho um bom título)

Oioii Lubisco e todos os seres vivos presentes (sem paci√™ncia pra escrever tudo sksk). Essa hist√≥ria √© sobre um menino que supostamente "gostava" de mim e muita merda que aconteceu h√° 2 anos atr√°s e este ano. Por incr√≠vel que pare√ßa TUDO oq vou dizer √© 100% real. (bjs de Portugal sou uma grande f√£ ūüėó)
Então, há 2 anos atrás uma vez tava com a minha bff do momento num canto do recreio, daí ela precisou de ir ao WC.
De boas, eu fiquei esperando no cantinho e do nada veio um grupo de 2 meninas e 1 menino. Esse menino é dos populares por ser considerado "gato" (não tanto, mas tá). Eles começaram a ser simpáticos e tal, só q eu tava meio desconfortável pq eles tavam a falar cmg como se eu fosse uma bebézinha sem amigos. Do nada esse menino disse: "Olha, eu até namoraria com uma menina bonita como tu". Eu fiquei meio confusa e tal mas apenas ignorei. Entretanto eles foram embora e eu fui procurar a minha bff.
Alguns dias depois tava nas bancadas do colégio que ficam na frente do campo de futebol com umas amigas, e ao nosso lado tinha 3 meninas da turma desse menino (como não quero mostrar o nome dele vou apenas chamar ele de.... Macaco).
Menina 1: Ei, menina Eu: oq foi? Menina 2: Sabes o Macaco? Eu: quem? Menina 1: aquele ali (ela apontou pra ele) ele gosta de ti
Eu depois de ouvir isso fiquei meio tipo "qu√™" mas fingi q n√£o ouvi nada Do nada esse menino GRITOU SE EU QUERIA NAMORAR COM ELE EM FRENTE DE TODA A GENTE L√Ā (a maioria cagou mas mesmo assim)
Eu, como a boa pessoa que sou, gritei N-Ã-O e daí fugi de lá com uma das amigas.
No recreio a seguir a turma dele PENSAVA QUE EU TINHA DITO SIM e tavam todos tipo "oi namorada do Macaco" Eu sempre respondia que não namorava com ele mas elas sempre diziam algo tipo: "gostas sim" "mas ele gosta de ti" "mas ele é tão simpático"
Uma vez tava com a minha turma à espera da professora de Matemática entrar na sala e o Macaco chegou perto de mim e começou a dizer repetidamente: "Inês beija-me, Inês beija-me, Inês beija-me". Eu tentei me afastar mas ele continuava a tentar me convencer a beijar aquela boca nojenta.. Daí uma colega minha reparou na situação e gritou pra eu correr pra dentro da sala pq a stora já tava lá. Eu fui, a correr mais rápido q o Flash, e me sentei no lugar..Eu já tava me sentido salva mas não..
Prof: IN√äS N√ÉO √Č ASSIM QUE SE ENTRA NUMA SALA!! SAI IMEDIATAMENTE!!!
Eu saí... E ele ainda tava lá ;-; com um sorriso creepy acenando pra mim ;-; eu fiquei batendo na porta até me chamarem e finalmente entrei.
Esse tipo de coisa foi acontecendo de vez em quando (mas não era tão estranho como essa) e chegou um dia que tava à espera de uma amiga minha pq ela tava à procura da lancheira dela e daí esse menino reparou na minha existência e abriu a boca.
Ele: ó Inês, tão todos a dizer que não gostas de mim. Explica-te!!!! Eu não aguentei e comecei a rir muito Eu: mano, eu nunca gostei de ti Ele: ISSO NÃO TEM PIADA!! Eu: tem! ainda rindo Ele: TA BEM! ACABAMOS!! Eu: ALELUIA-
Eu continuei a minha vida e o Macaco j√° n me chateava. (ele me pediu em namoro denovo e eu rejeitei mais uma vez)
1 ano depois.. Ele ficava constantemente a olhar pra mim (ele não é da minha turma se tiveres confuso, ele é da turma mais velha) mas ele quase nunca dizia nada
Outro ano depois (este ano) ele se tocou que "gostava" de mim denovo
Eu sempre chego muito antes das aulas começarem, tal como ele e o amigo dele. No colégio tem tipo um mini corredor que vai dar ao campo de futebol (pra educação física) e a meio desse caminho no lado esquerdo tinha uma sala onde os alunos podiam relaxar, conversar, etc.
Eu nunca tuve coragem pra entrar nessa sala pq o Macaco e o amigo dele tavam sempre l√°. Um dia (detalhe importante: um dia antes do dia dos namorados) o desgra√ßado do menino chegou perto de mim e disse: "Olha n√£o √© preciso teres medo de mim. Podes ir pra sala". Eu apenas disse um ok e fiz um sorrisinho do tipo "saiii da minhaa vidaa~" No dia a seguir eu fui l√° de boas, abri a porta e disse "bom dia". Olhei pra eles e eles ficaram mt chocados pq eu era mt t√≠mida. Eu me sentei numa mesa longe deles e eles ficaram de boas. Eu tamb√©m fiquei de boas e comecei a ver fotos do Harry Styles (cada um com os seus gostos). Esse cantor tem uma m√ļsica chamada falling e tal e no refr√£o ele diz "im falling again, im falling again.. FAAAALING" (tradu√ß√£o: falling pode significar ou cair do tipo trope√ßar oy tmb pode ser de se apaixonar do tipo "eu tou caindo de amores"). Eu tava vendo as fotos e tal equanto ouvia essa m√ļsica e no refr√£o come√ßaram a aparecer gifs dele a cair em palco. Eu n√£o aguentei, eu comecei a rir muito
O Macaco olhou logo pra mim. Ele: Oq é q é tão engraçado? Eu: nada.. Ele: oq é q tás a ver? Eu: fotos de um cantor.. Ele: Quem? Eu: Harry Styles.. Ele: Hm.. Ok.
Uns minutinhos depois ele olhou para mim e me chamou Eu: oque foi? Ele: queres me acompanhar neste dia de S. Valentim? numa voz fofa e simpática Eu: Não Amigo: Ela namora com o amiguinho gay dela Eu: Não namoro não Amigo: Namoras sim Eu: Nós somos amigos Amigo: ta bem vou fingir que acredito.
Ficou um silêncio meio constrangedor. Mas não durou muito
Macaco: Bora jogar à bola aqui? Amigo: Bora
Eles queriam jogar ao jogo dos passes DENTRO DE UMA SALA ESTREITA (é tipo um jogo em que vão chutando a bola pro colega e ele chuta de volta)
Eles foram um pra cada ponta da sala e como óbvio o Macaco ficou perto de mim (CHATOOOO SE AFASTAA AIN) Eles começaram a jogar, de boas, e do nada o amigo dele chuta a bola um pouco alto. Eu me encolhi com medo de levar com uma bola dura de futebol na fussa e o chato abriu novamente a boca
Macaco : não é preciso teres medo, eu não sou q nem o teu amiguinho q n te defende Os dois começaram a rir e eu fiquei calada e séria e eles continuaram.
(Aconteceram outras coisas mas n é nada demais.)
Outros dias depois reparei que essa sala tava em obras. E a duplinha dos animais tavam sentados num banco à frente da sala.
Eu: Ei algum de vocês sabe oq se passa com a sala? Macaco: sim, linda Eu dei um sorriso do tipo "cala a boca" Amigo: ela namora com o outro (ele tava a falar do mesmo amigo "gay") Eu: Eu não namoro com ele, ele é meu amigo Eles ficaram em silêncio e dps o Macaco continuou Macaco: ent, aqui vai ser a sala dos professores e (bla bla bla q não ouvi). Eu: ah obrigada! Ele: denada fofa. Eu: ok tchau começo a andar pro corredor Ele: queres q eu te acompanhe? Eu: haha, não! Tou ótima!
Entretanto outro amigo deles chegou e eles come√ßaram a falar. Do nada chegaram os 3 perto de mim e o chato tentou cantar "Story of my Life" (uma m√ļsica dos one direcyion) Mas como √≥bvio ele n√£o podia ser uma pessoa normal a cantar, n√£o. Ele n√£o sabia quase nada da letra por isso ele tava tipo "nanana my life nananana"
Eu me senti mt constragida e comecei a me afastar deles. Graças a Deus uma amiga minha já tinha chegado e eu fui atrás dela. Eles não me perseguiram (ainda bem) O dia continuou normal.
Daí, numa semana tava um clima meio estranho na escola por causa do Covid. Não sabiam se as escolas iam fechar ou não.. E daí na sexta feira decidiram.
Sim, as escolas iriam fechar oficialmente.
Quase ninguém foi à escola nesse dia e meio q não teve aula. Tivemos apenas a recolher os cadernos e materiais que precisávamos e alguns professores fizeram umas atividades simples.
Ao fim do dia tava eu e 3 amigas num canto. Esse canto é literalmente entre uma sala e a sala desse menino irritante. Uma das meninas precisava de guardar uma coisa na mochila, e ela n queria ir sozinha. Elas:..... Eu: eu posso ir Uma amiga: eu tmb Outra: não me vão deixar sozinha pois não?! Eu: Ok vamos todas
Eu j√° tava em p√© e j√° tava preparada pra sair de l√°. Dei uns passos e me deparei logo com esta cena: o Macaco de joelhos em cima de um skate a tentar andar nele. Eu recuei e comecei a rir e eu acho q uma das amigas tmb viu pq ela tmb tava a rir ksks. Esper√°mos a √ļltima amiga se levantar e fomos.
Quando começámos a passar por ele ele tava sentado no skate e essa amiga q viu começou a rir e a dar sinal pra eu olhar pra ele. Continuámos a rir um pouco e fomos esperar a amiga guardar a tal coisa. Entretanto uma auxiliar chamou essa menina pq a mãe dela já tava no portão pra levar pra casa. Ela foi e vi a minha nova bff a entrar na escola. Ela foi lá pta levar os livros que ela não levou. Eu fui com ela e mais uma amiga dela de boas levar os livros dela e passámos pelo Macaco Detalhe: essa amiga dela me shipa muito com ele ;-; Ela: OLHA O AMOR DA TUA VIDA ALI A OLHAR PRA TI E eu, como a lerda q sou, olhei LOGO pra ELE. (alguém me mata)
Uns minutos depois voltei pras duas amigas q tava a falar antes e fomos pra uma mesa em frente da sala dele.
Ele: Inês Eu: sim? Ele: tens bateria infinita nesse telemóvel (celular)? Eu: quê? Ele: ficaste o dia todo com ele e ele ainda tem bateria Eu: ok?.. Ele: quanto é q tens? Eu: 60% Ele: mds
Eu continuei o meu caminho e ele perguntou outra coisa mas eu ignorei. Fui pra mesa com as 2 migas e começámos a ver uns vídeos. Do nada o ar olhou pra mim e disse: vou me tornar em vento Começou a ficar mt vento e o meu cabelo tava a voar pra minha cara ;-; eu tava a tentar afastar e fiquri tipo : PORRA SAI DA MINHA CARA, CABELO!! Daí olhei pro lado e ele tava a olhar pra mim ;-; o pior é q ele não desviou o olhar. Ele continuou a olhar pra mim como se fosse animal do zoo. Eu fingi q n aconteceu nada e continuei a ver o vídeo com as meninas.
Bom Aconteceram muitas outras coisas, mas tou sem paciência pra contar todas. Resumozinho: Até q nos damos bem, ele me diz bom dia, eu digo bom dia de volta.. Mas é aquele tipo de amigos q só se falam numa hora determinada do dia, porém não tão próximos. Ele já me tentou pedir o whats e o insta mas eu não dei pq eu não tenho (ok agr tenho insta mas fds). E por causa da quarentena não nos podemos falar. Eu já entrei na videochamada da turma dele sem querer e foi isso ;-;
Obrigada por gastar o seu tempo a ler esta história bizarra e longa que eu gostava que fosse fake ;-;, bjs tenha um bom dia.
submitted by InezinhaDirectioner to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.02 00:14 NoiteAmorosa PROCURO NAMORADINHA

EU QUERO UMA NAMORADINHA: redpillada channer, dogoleira, wgtow, ancap, jogadora de lol, jogadora de poker, bv, virgem, sem amigos, crente, f√£ da UDR,magrela, footlet,escuta Chico Buarque, weeabo, hikkimori, otaku, gamer, furry, fujoshi, hetero,federal,trader de bitcoin,hacker, defacer, cubista, penspinner, recordista de memoriza√ß√£o de baralhos, timida, m√£e de pet, hidratada, n√£o consumidora de a√ßucar, saud√°vel, youtuber, netolover, pooper, cambista, shitposter, anarquista, materialista, roquista, travesquista, mono talon vlogger, blogueira, e-girl, intolerante a lactose, intolerante a gluten, grinder e hipn√≥loga, fiel, niilista existencialista, metaleira, headbanguer, pelo no suvaco, patriota, masoquista, ballbuster, jogadora de minecraft, buceta fedida, que n√£o tenha medo de chuta minhas bolas pelo amor de deus eu nao consigo encontrar uma menina pra chutar minhas bolas por favor deus eu imploro nao agusnto mais isso nao eh um meme porque voces tem medo de me chutar no saco. Ra√ßa: n√≥rdica Altura: 170cm+ Pele: 1 ou 2 (Fitzpatrick) Olhos: 7+ (Martin) Cabelos: qualquer cor, mas apenas lisos ou ondulados (FIA) Nariz: reto ou virado para cima Cr√Ęnio: dolico ou mesocef√°lico √ďculos: n√£o Aparelhos: n√£o Queixo furado: n√£o Covinhas: n√£o Orelha presa: n√£o Orelha de abano: n√£o Franja em V: n√£o Pelos no corpo: muito pouco Tatuagem: n√£o Gradua√ß√£o: apenas cursos voltados √† pesquisa Faculdade: apenas bem conceituadas Habilidades matem√°ticas: sim Idiomas: flu√™ncia em ingl√™s e mais outro idioma √Ālcool, cigarro, drogas: n√£o, nenhum Personalidade: introvers√£o Cultura: europeia ocidental RELIGI√ÉO: Crist√£ Ortodoxa Gostar de escutar rog√©rio skylab:
Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab. O humor √© extremamente sutil e, sem uma compreens√£o s√≥lida de filosofia moderna, a maioria das piadas vai passar despercebida pelo telespectador m√©dio. H√° tamb√©m a vis√£o niilista de Rog√©rio, que est√° habilmente tecida em sua caracteriza√ß√£o - sua filosofia pessoal se baseia fortemente na literatura de Nododaya Volya, por exemplo. Os f√£s entendem essas coisas; eles t√™m a capacidade intelectual para realmente apreciar a profundidade dessas piadas, para perceber que elas n√£o s√£o apenas engra√ßadas - elas dizem algo profundo sobre a VIDA. Como conseq√ľ√™ncia, as pessoas que n√£o gostam de Rog√©rio Skylab s√£o verdadeiros idiotas - √© claro que eles n√£o apreciariam, por exemplo, o humor no bord√£o existencial de Rog√©rio "Chico Xavier √© viado e Roberto Carlos tem perna de pau", que √© uma refer√™ncia cript√≠ca para o √©pico Pais e Filhos do russo Turgenev. Estou sorrindo agora mesmo imaginando um desses coitados simplistas co√ßando a cabe√ßa em confus√£o enquanto as m√ļsicas se desenrolam na tela de seu computador. Que tolos‚Ķ como eu tenho pena deles. E sim, a prop√≥sito, eu tenho uma tatuagem do Rog√©rio Skylab. E n√£o, voc√™ n√£o pode v√™-la. √Č s√≥ para os olhos das damas. E mesmo elas, precisam demonstrar de antem√£o que possuem um QI com diferen√ßa absoluta de no m√°ximo 5 pontos do meu (de prefer√™ncia para baixo).
Rotina, Habitos e interesses: Nofap + Banho Gelado + comer carne crua + comer virado pra parede + biohack + dormir no ch√£o + Jordan Peterson + mewing + HBD + PUA + jelq + dormir 5 horas por dia + caf√© gelado sem a√ß√ļcar + hipismo + compila√ß√£o mitadas En√©as + alho cru + podcast do Joe Rogan + redpill + Brain Force + Jejum + medita√ß√£o iasd + m√ļsicas para concentra√ß√£o, foco e intelig√™ncia + teste de QI da internet + grupos de linhagem viking do facebook + ficar longe do poste de internet 4G + youtube do varg vikernes + ess√™ncia de morango da turma da m√īnica no narguil√© + jogar vape na cara de todo mundo que tentar entrar no bloco da faculdade + 5 segundos de calistenia no deserto do atacama + darkcel + √≥culos do a√©cio na foto de perfil + ler quotes do nietzsche no brainy quote + criar galinha no quarto sem os pais saberem + Alho cru + uma colher de azeite quando acorda e outra antes de dormir + jejum de 24hrs a cada 72hrs + assistir VT no premiere logo que chega do est√°dio + canal Ultras World + LibreFighting + Operation Werewolf + comprar os artigos do Paul Waggener + Centhurion METHOD + humilliation exposure com a finalidade de criar uma crosta na sua mente capaz de desenvolver uma resili√™ncia que resiste √† humilha√ß√£o como se ela fosse nada + tomar banho descal√ßo em chuveiro de academia com ch√£o mijado + muscula√ß√£o caseira + hackear o sono + Empreender + 10 livros de auto ajuda por m√™s + PUA + Selo super f√£ da f√ļria e tradi√ß√£o + Biokinesis + 432hz music + Mexer o pau sem piscar o c√ļ + medita√ß√£o transcendental + veganismo + minoxidil para cultivar uma barba + filmografia Jason Stataham + assistir vikings + redpill + ir no cinema sozinho + treino saitama + coach qu√Ęntico + enema de caf√© + dieta lair ribeiro + agua alcalina + O M√©todo de Wim Hof + sabedoria hiperb√≥rea + artigos da Nova Resist√™ncia + Biblioteca do D√≠dimo Matos + dormir virado pra patede assoviando no escuro pra espantar o curupira + dar 3 pulinhos toda vez que levantar da cama + dizer am√©m quando um 1113 azul passar por voc√™ na rua + 100 flex√Ķes por dia + 6 meses de jelq + injacula√ß√£o guiada + sociedade thule + energia vril + chap√©u de alum√≠nio para se proteger das armas psicotronicas emitidas pela CIA + caderno de anota√ß√Ķes smiliguido + pedir a b√™n√ß√£o ao carteiro toda segunda de manh√£ + 3 horas de academia + 4 horas de corrida + mascar caf√© + exerc√≠cios penianos do Dr. Rey + maratona saga Rocky + trilha sonora saga Rocky + trilogia Mercen√°rios + filmes do Jason Statham + assoviar o hino do Palmeiras de ponta-cabe√ßa + intro do Canal do Nicola em loop + palestras do Antonio Conte + v√≠deos do Rodrigo Baltar + dicas do Gustavo Gambit + aulas de italiano + dormir ouvindo Ultraje a Rigor + ler Walden pelado na mata atl√Ęntica de madrugada + ouvir m√ļsicas em velocidade aumentada + canto gregoriano √°rabe + ensinar hino do botafogo pra calopsita + fritar comida com banha de porco + assistir videos de situa√ßoes de risco com a finalidade de se preparar para o perigo + Terapia Holistica com formandos da UFPR no Jardim Bot√Ęnico + Radiestesia para harmonizar vibra√ß√£o da casa + Metatron 432HZ no YouTube entoando a ora√ß√£o EU SOU + ler O C√≥digo da Vinci + Jesus Qu√Ęntico + Barra Fixa na pra√ßa de madrugada escutando audiolivro do Jordan Peterson na voz do cara dos Fatos Desconhecidos + grupo POPEYE AFIANDO A PIKA + MyInstants AEEE KASINAO + Memes do Fausto Silva + ler O Evangelho dos Animais + stories do Copini no Instagram + Canal SocialGames7 com Gustavo Gambit e CIA + textos de Raphael Machado (Nova Resist√™ncia) + ser ex-membro do grupo Comunismo Ortodoxo + Monja Coen + Fazer origami com papel do bis + perder dinheiro com maquina de pegar ursinho + fumar palheiro com o av√ī + quebrar palito de dente no meio depois que usar + rezar Pai Nosso em aramaico + tentar se comunicar com o ashtar sheran + virar catequista e passar Pl√≠nio Salgado para as crian√ßas + Limpeza de 21 dias de S√£o Miguel Arcanjo + arrancar a fimose comendo cu apertado de galinha caipira + Regata branca WifeBeater com cal√ßa jeans clara e bota marrom + Ingressar na legiao estrangeira + Comprar toras de eucalipto pra reproduzir o centurion method mas nunca come√ßar o treinamento + vender m√°quina de cart√£o de cr√©dito + ler os escritos do Unabomber + Escutar a discografia do Paul Waggener + ler todos os livros do Pavel Tsatsouline + ouvir rap eslavo de cunho pol√≠tico suspeito + caf√© com um cubo de manteiga dentro precedendo a primeira refei√ß√£o do dia + beber 2L de leite por dia + Stronglifts 5x5 + Dieta Cetog√™nica + Canal Jason PROJETO GIGA + Cd do TRETA + comprar torre de chopp no prensad√£o + 2 c√°psulas de Tadalafellas antes do sexo + s√≥ comprar comida japonesa importada pra dieta + comer arroz sem sal com peixe cru sem tempero enrolado em folha do fundo do mar + memes da p√°gina Dollynho Puritano + Deus Vult na capa do Facebook + acessar o dogolachan pelo computador da escola pra postar fanfic gay do Gilberto Barros + Trollar atendentes do mcdonalds no habbo hotel + ligar para o Motel Ast√ļrias perguntar quando custa a bolacha Bauducco que aparece no site + Mandar entregar pizza na Rua dos Tamoios casa n¬į18 com port√£o vermelho + cosplay de russo no Omegle pedindo pra mostrarem a bunda + Dormir imaginando uma linha pra fazer viagem astral + recitar Homero pra mendigo + tomar antibi√≥tico no caf√© da manh√£ + Meditar imaginando o raio de luz violeta que representa a energia transmutadora + Workshop Reiki do Canal Luz da Serra MULHERES TERRAPLANISTAS RALEM.
Primeiro de tudo! Vai tomar no cu, MULHERES terraplanistas! Junto com todas que me contrariaram nos √ļltimos meses falando "dur hur voc√™ n√£o sabe nada de paleontologia, vai assistir seus desenhos filipinos e n√£o encha o saco". TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! LERAM DIREITO? TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! A farsa ficou t√£o √≥bvia, que eles n√£o tem mais como esconder que TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! Alguns mais penas, outros menos penas, MAS TODOS TEM. E aproveitando no mesmo v√≠deo, N√ÉO TEVE METEORO PORRA NENHUMA! Provavelmente as mudan√ßas clim√°ticas naturais, junto com a separa√ß√£o gradual dos continentes, √© que extinguiu a mega-flora e a mega-fauna. E se teve algum meteoro, apenas acelerou o processo em uma regi√£o muito especifica. Agora s√≥ falta as ((especialistas)) e a (((Academia))) admitir que dinossauros nunca existiram e que foi tudo um erro grotesco de interpreta√ß√£o de pessoas que n√£o sabiam que caralhos eram aqueles esqueletos. S√£o apenas aves e mam√≠feros ancestrais de milh√Ķes de anos atr√°s. E antes que eu me esque√ßa, vai todo mundo que me contrariou tomar no cu!
GOSTAR DE MIM POR QUEM EU SOU E NAO PELA MINHA APARENCIA
Sério, de verdade, ser uma pessoa bonita não é fácil em nossa sociedade atual; não é só os olhares de desejo das mulheres e dos homens que me incomoda, e sim, o fato de ser só isso para as pessoas. Sou muito mais que apenas um cara bonito. Tenho qualidades além dessas, e saber que as pessoas não ligam para elas, pois estão entorpecidas de anseio pela minha formosura, me entristece muito.
Não suporto mais ser bonito. Tudo que eu queria era poder nascer de novo num corpo de uma pessoa feia, pois sério, vocês não sabem como me dói saber que por culpa de algo que nasceu em mim (a incrível beleza), serei rotulado eternamente por isso.
Eu trabalho, estudo, procuro, conheço, aprendo! Sou um ser-humano como qualquer outro e não só mais um rostinho bonito.
Pergunta antes de eu poder te namorar: Você é ocultista?
Essa é a pergunta de um milhão de dólares que raramente vejo sendo feita.
Se você ainda não for, pra se tornar minha namorada precisará ser e aqui está como fazer isso
√Č fato que a maior parte da literatura especializada ocidental acredita em Deus e Cristo, somente olhando-o por uma lente diferente. N√£o h√° um ritual que lhe aproxime de Deus, as coisas raramente s√£o t√£o simples. Entretanto, com estudo e medita√ß√£o o caminho come√ßa a ficar mais claro.
Entenda que não sou nenhum senhor da verdade, e o que te falo hoje posso descobrir ser mentira amanhã. Saiba também que um dos maiores problemas desse meio é a falta de um início claro, sendo as obras tidas como introdutórias porcarias completas. Dito isso, lhe respondo o seguinte:
  1. O caminho mais completo para se aproximar do que voc√™ quer come√ßa com no√ß√Ķes do pensamento Hel√™nico. Entenda que boa parte da vis√£o de mundo crist√£ vem da antiguidade cl√°ssica, principalmente as no√ß√Ķes de harmonia e belo. N√£o te pe√ßo para ler tudo o que j√° foi jogado ao ch√£o pelos gregos, mas saiba um pouco das origens das coisas. Tenha uma ideia b√°sica dos quatro humores gregos, e que essa √© uma das origens para atribuirmos personalidades aos elementos da natureza. Entenda um pouco dos seus deuses e Cosmos, porque eles ser√£o utilizados no futuro de forma metaf√≥rica em textos. Saiba que quando aparecer um hermafrodita em um texto especializado n√£o h√° conex√£o com desvios modernos, mas com um simbolismo mais antigo (Salvo engano, sua origem √© Plat√īnica. Mais especificamente, O Banquete, durante os discursos sobre amor).
  2. Entenda que boa parte da origem da magia ocidental vem da conflu√™ncia da cultura grega com a eg√≠pcia, incluindo a alquimia. A t√°bua esmeralda √© um texto obrigat√≥rio. Leia um pouco sobre o Axioma de Maria, A judia. Aprenda um pouco da simbologia alqu√≠mica, porque ser√° importante para voc√™ no futuro. √Č dentro da alquimia que ir√£o discursar sem final sobre a trindade (pelo menos os da corrente de Paracelso). N√£o se pretenda nenhum mestre dos espag√≠ricos, porque os qu√≠micos far√£o isso melhor do que voc√™. Entenda que n√£o havia essa separa√ß√£o absoluta entre o material e o espiritual, ent√£o os dois conhecimentos andaram juntos ao decorrer da hist√≥ria. Entenda tamb√©m que haviam escritores voltados especificamente para a alquimia espiritual, enquanto outros √† qu√≠mica.
  3. Estude a Cabala. Eu entendo que para alguns seja dif√≠cil dar aten√ß√£o √† Cabala Judaica com o surto conspiracionista chan√≠stico sobre a √≠ndole de todo um povo, mas querendo ou n√£o o juda√≠smo √© o Pai da f√© crist√£, sendo Jesus judeu. Entenda que a √°rvore da vida √© um estudo sobre Deus e suas emana√ß√Ķes, e dela vir√° uma boa parte de seu conhecimento.
  4. Leia as coisas atuais sobre o assunto. Dê atenção aos escritores herméticos, principalmente.
Ocultismo é um saco, pelo menos se você for estudar seriamente. Você pode perder a vida se tiver um projeto ambicioso como se aproximar de Deus.
Você também pode pular algumas etapas no que te falei. Sobre a parte do pensamento grego, saiba que boa parte é "dispensável". Dito isso, recomento que entenda um pouco sobre o funcionamento do Cosmos de Ptolomeu. Entenda também alguns dos símbolos planetários, porque seu entendimento irá lhe ajudar no futuro.
Pra me namorar tambéme tem que gostar dos animes:
Akame ga Kill! Akarui Sekai Keikaku Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Criminale! Dog Style Domina no Do! Eden no Ori Yu-gi-oh
Sobre assistir Yu-gi-oh; quando eu era adolescente, gostava (na época que passou na TV Globinho e era moda), mas hoje em dia não gosto mais; então não assistiria de novo.
Quanto às minhas lembranças marcantes de Yu-gi-oh:
Em 2003, Yu-gi-oh era moda e todo mundo na escola da quinta e da sexta série jogava com cartinhas piratas, já o pessoal da sétima e da oitava não se interessava. A propósito, em 2003 tiveram duas grandes modas de brinquedos baseados em animes, cartinhas de Yu-gi-oh e Beyblade. Outro brinquedo que todo mundo da quinta e da sexta série levava pra escola em 2003 depois que passou a moda de Yu-gi-oh e começou a moda da Beyblade era a Beyblade.
Outra lembrança marcante que tenho de Yu-gi-oh é que em 2003 na escola o pessoal criava suas próprias cartinhas, fazendo desenhos e estatísticas.
Fujimura-kun Mates Gantz Gou-Dere Bishoujo Nagihara Sora‚ô• Higurashi no Naku Koro ni Kai: Matsuribayashi-hen Hitsugi no Chaika Ichigo 100% Ichinensei ni Nacchattara In Bura!: Bishoujo Kyuuketsuki no Hazukashii Himitsu Jigokuren: Love in the Hell Jinzou Shoujo JoJo no Kimyou na Bouken Part 4: Diamond wa Kudakenai JoJo no Kimyou na Bouken Part 5: Ougon no Kaze JoJo no Kimyou na Bouken Part 6: Stone Ocean JoJo no Kimyou na Bouken Part 7: Steel Ball Run Kaibutsu Oujo Lucky‚ėÜStar Mahou no Iroha! Mahou Tsukai Kurohime Monster Hunter Orage Mujaki no Rakuen Needless Zero Nyotai-ka Onihime VS Oretama Perowan!: Hayakushinasai! Goshujinsama‚ô™ Re:Marina Rosario to Vampire Saitama Chainsaw Shoujo Sankarea School Rumble Shingetsutan Tsukihime Shocking Pink! Shurabara! Sora no Otoshimono Sora no Otoshimono Pico Akame ga Kill! Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Dorohedoro Nekopara Pet Toaru Kagaku no Railgun Magia Record: Mahou Shoujo Madoka‚ėÜMagica Gaiden Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita.Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita. Isekai Quartet 2Isekai Quartet 2 Ishuzoku Reviewers Somali to Mori no Kamisama Eizouken ni wa Te wo Dasu na!Eizouken ni wa Te wo Dasu na! Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu.Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu. Jibaku Shounen Hanako-kun Haikyuu!!: To the TopHaikyuu!!: To the Top Darwin's GameDarwin's Game Kyokou SuiriKyokou Suiri Plunderer
PRE REQUISITO: GOSTAR DE FILMES DE FAROESTE.
IMPORTANTE: Se você gosta de filmes de super heroi, pare de ler e va se foder.
Se você é assim, fique longe de mim.
N√ÉO QUERO AS MULHERES QUE: As que falam palavr√Ķes As que fumam As que usam drogas As que postam foto com bebida Que bebem (menos ūüć∑, isso √© coisa de dama) As que v√£o para balada, festa, rave etc As que postam fotos com short curto, decote ou sensuais
Há uma coisa que eu quero que você entenda sobre nós os homens.
Quando voc√™ colocar uma foto sua nua no facebook, fazendo uma pose gostosa, mostrando os seios ou como vemos em v√°rias fotos mostrando o bumbum ou deitada sedutoramente em sua cama, a √ļnica coisa que voc√™ faz √© que as pessoas tenham desejo sexual por voc√™, claro em A maioria dos casos por parte de homens.
Eu sei que voc√™ vai ficar t√£o emocionada com os 500 likes, 120 coment√°rios e as in√ļmeras mensagens privadas! Voc√™ vai querer postar cada vez mais fotos para se sentir cada vez mais no topo.
Mas há algo importante que você precisa saber:
Na verdade nenhum desses caras que gostam, comentam ou enviam mensagens privadas te ama. Tudo o que eles querem é usá-la e depois atirá-la para o lixo, para ser honesto nenhum deles a levaria para sua casa para ser sua esposa, acredite em mim, você para eles não é mais que uma menina de programa em busca de popularidade barata No Facebook.
Os homens ricos os que tem o que você procura "dinheiro" ou os pobres admiram as mulheres que se vestem com decência e se respeitam. Uma vestimenta decente que não revela muito o seu corpo, leva-os a amar e a respeitar-te, isto a simples vista nos diz que és uma mulher virtuosa, alguém a quem se pode levar para casa para ser esposa e mãe.
Isto em muitos casos diz-lhes que você foi criada com princípios morais e lhes dá detalhes do seu bom histórico familiar.
Eles n√£o se preocupam muito com a maquiagem excessiva, uma mulher digna de propor casamento sempre se distingue do monte, n√£o importa como.
Valoriza seu corpo, lembre-se que para encontrar diamantes é preciso cavar, respeita, e um verdadeiro homem vai te respeitar de um modo ou de outro.
Mas você terá muito respeito: Mulher, não mostre seu corpo no facebook, você não sabe que tipo de pessoas, venha suas coisas, você é uma mulher bela, não precisa de fotos, nem mostrar tanto, você pode conquistar com sua simpatia, com seu educacióncon seu sonrrisa,
As que j√° ficaram com amigos seus, ou que ficam com mais de 3 em um √ļnico ano As que n√£o trabalham ou estudam (ou que est√£o em um curso irrelevante de humanas) As que n√£o sabem o b√°sico de uma casa, como lavar, passar roupa, cozinhar, trocar fralda, etc As interesseiras As que est√£o pedindo presentes sempre As que j√° est√£o comprometidas As n√£o gostam de crian√ßas ou dizem que n√£o querem ter filhos (pessoas que n√£o querem ter filhos n√£o s√£o confi√°veis) As que tem piercing de bufalo
submitted by NoiteAmorosa to DiretoDoZapZap [link] [comments]


2017.09.22 05:23 cocacolacomcafe Sobre como pensar demais me colocou na borda do suicídio

Hoje vi a postagem do JealousAcoraceae sobre a vontade de querer parar de pensar. Eu ia fazer um comentário lá, mas é muito provável que o relato aqui pode ajudar ou mostrar novas perspectivas pra mais alguém no mesmo problema. Vale lembrar que foi o que funcionou pra mim, não tive acompanhamento psicológico durante esse tempo (mesmo que eu tivesse tido antes) e me considero um cara de muita sorte por ter pensado do melhor modo pra eu sair desse problema. Não vou fazer TL;DR porque não vejo necessidade.
Eu sempre me comparei com os outros, sempre fui muito focado nos meus objetivos e tento ser o melhor possível quando procuro fazer algo. Porém nunca fui um bom aluno, reprovei 1x na escola, 3x na faculdade e essa minha mania de comparação me fazia eu me sentir um merda. Como assim eu não vou conseguir ser bom? Como assim meu irmão que tem exatamente a mesma educação que a minha é um cara bem sucedido hoje e eu até agora batalho um bocado pra poder pagar pelo menos meu aluguel? Eu devo ser um merda mesmo e não enxergo.
Pensamentos assim começaram a me afogar, eu me sentia um bosta, mas escondia isso muito bem. Acho que por uma necessidade de não deixar todo mundo descobrir que sou um bosta mesmo. Esse meu disfarce foi muito bom, porque consegui namorar, tive muitos amigos, consegui levar uma vida socialmente boa, mesmo que eu fosse o "estranho" do grupo. Mas o tempo todo eu pensava sobre o quão bosta eu tava me tornando. Isso na época da escola.
Pensamentos suicidas apareceram pra mim no primeiro colegial, minha namorada da época chegou pra mim quando reprovei e disse "se reprovar de novo a gente termina". Uma professora minha chamou meus colegas e falou "gente, ajuda ele, ele não vai conseguir". Ouvi minha mãe chorando com o meu pai uma vez e ela disse "eu não sei o que a gente vai fazer com ele". Meu irmão brigou comigo uma vez e disse que eu devia ser burro de verdade. Minha mente foi definhando do ponto de vista da sanidade. Todo mundo era melhor que eu. Todo mundo. E eu ficava ainda mais puto quando tentavam me ajudar, porque falavam como se eu não estivesse enxergando o quão ruim eu tava sendo como aluno e o quanto eu tava ferrando com o meu futuro, porém eu tinha plena ideia disso tudo.
Eu cheguei num ponto de acreditar que ninguém ali, absolutamente ninguém, ia sentir a minha falta depois de morto. Na verdade iam, porém a sensação da perda ia passar. Eu tinha isso na minha cabeça. Só que eu não tinha a coragem. E ainda bem que eu não tive essa coragem.
Essa minha mania de pensar demais acabou por ser boa, porque eu consegui focar em pensar demais sem querer prejudicar alguém (incluindo eu). Comecei a pensar "se eu não vou ser bem sucedido profissionalmente, pelo menos eu vou ser uma boa pessoa". Porém ainda não era o suficiente. Os pensamentos estavam fortes, mas eu sempre me gabei do meu auto controle e tenho que me gabar sempre mesmo, porque se não fosse isso, eu já tinha pulado fora da vida, ou feito sei lá o que.
Na faculdade eu tive épocas de passar uma semana ou mais onde eu simplesmente não saía do meu quarto. Morava em uma kitnet onde só tinha o quarto e um banheiro. Eu tinha um frigobar e um microondas, então tinha comida pra semana inteira. Internet era meu asilo.
Certa vez me peguei lendo um artigo sobre a necessidade de socialização humana e os perigos que a reclusão social podiam trazer. Me deu um clique e caiu minha ficha de que eu tava ficando doente. Parei de usar meu frigobar, peguei ele e o microondas e mandei pra casa dos meus pais na minha cidade natal. Agora eu não tinha comida pra semana inteira. Foi a melhor forma que arrumei pra levantar e sair dali, agora todo dia eu ia no mercado comprar comida ou num restaurante almoçar. Ou era isso, ou era a fome. Olhei no espelho, barba rala mal feita, cabelo bagunçado, eu tava um bagaço. Quem ia querer conversar comigo daquele jeito? Ninguém, eu pensava.
Uma vez me chamaram pra tomar um tereré numa rep, eu gosto de tereré e achava melhor essas rodinhas durante o dia do que festa, porque você não se sente tão obrigado a conversar. Fiquei feliz por um momento, afinal eu pensava que ninguém tava disposto a querer trocar uma ideia comigo. Me arrumei, olhei no espelho, queria dar um tapa no visual, mas que se foda: basta fazer uma cara de paisagem e parecer interessado no que falam, que as coisas fluem. Não tão bem quanto deveria, mas fluem. Então fui.
... Vou adicionar algo que pensei aqui e acho válido: sempre vão te convidar uma vez ou outra pra alguma coisa, abraça isso sem pensar muito sobre, ou então vão parar de te chamar depois de tentarem umas três vezes.
Cheguei l√°, deram uma zoada no meu bigode que realmente tava escroto, e comentaram "poxa, finalmente que saiu da sua caverna ein". Na hora fiquei absurdamente desconfort√°vel, mas pensei comigo e eles tinham raz√£o em comentar. Conversaram um tempo, eu cansei depois de meia hora, mas consegui aguentar uma hora e meia. Levantei, disse que eu tinha que terminar uns trabalhos e vazei.
Cheguei em casa, tirei o tênis (adoro ficar descalço), coloquei um som tranquilo no PC, deitei na cama e fui pensar na vida. O evento acima repetiu outras vezes e foi durante essas saídas que uma menina disse pra mim "fulano, você pensa demais, para". Continuamos conversando depois disso, mas isso ficou ecoando na minha cabeça. Cheguei em casa e repeti o evento na minha cabeça. Deitei na cama e pensei sobre. Esses momentos de reflexão tentando não me martirizar e entender que cada pessoa tem seu mundo e pontos de vistas diferentes me ajudou demais. Eu comecei a entender como tudo funcionava. Até que reprovei a segunda vez na faculdade.
BUM. Um soco na cara. S√≥ que neste momento eu j√° tinha um conv√≠vio social maior, eu conseguia entender a minha import√Ęncia na vida das pessoas, aprendi a ouvir, aprendi a falar, aprendi a conversar, gosto de dizer que aprendi a viver em sociedade. E muita gente se abria comigo sobre os mais variados temas, porque eu sentava do lado e ouvia. N√£o queria falar. Queria ouvir.
A vontade de me matar voltou a ecoar na minha cabe√ßa, devia fazer um ou dois meses que eu nem sequer pensava nisso. E foi at√© bom essa vontade voltar pra discutir comigo depois de um tempo, porque eu consegui me posicionar melhor sobre a situa√ß√£o. Meus pais por mais que tenham convic√ß√£o de que n√£o serei bem sucedido (nunca me falaram isso, s√≥ imagino), eles precisam de mim, porque foi eu que mantive o peito erguido pra todos os perrengues psicol√≥gicos que eles passaram, e se eu sumir desse mundo, n√£o tem irm√£o bem sucedido que vai conseguir segurar os dois desabados. J√° tinha amizades que me consideravam muito por eu ser direto nas palavras sem ser mal educado ou parcial, vivo da sensatez e muita gente me considera demais por isso. Nessa reflex√£o sobre o meu poss√≠vel suic√≠dio me caiu a ficha sobre como enxergar a minha import√Ęncia na vida das pessoas. Eu sei que nem todo mundo quer ter essa import√Ęncia, s√≥ que gosto de ser importante pros outros e foi isso que encontrei pra ter coragem de acordar mais um dia.
Nesse meio tempo aí em cima eu tirei meu projeto de bigode mal feito, cortei o cabelo, comecei a fazer uns exercícios em casa, engordei 30kg (tinha 1,85m e pesava 50kg antes), aprendi a conversar, olhar no olho pra falar, puxar conversa, beber, manter contato com quem me considera (é a parte mais difícil até hoje). E o melhor de tudo: aprendi a ser ignorante.
Não ignorante retardado, ignorante de relevar as coisas. Pessoas erram, pessoas se fodem, a vida é aleatória, merda acontece o tempo todo, a gente não pode controlar as coisas que o universo joga na nossa vida. MUITA reflexão e MUITO tempo teimando comigo mesmo pra tirar algumas coisas da cabeça foram gastos, mas aprendi. Aprendi a relevar. To feliz com o fato de ter reprovado 3 anos na faculdade? Absolutamente não. To feliz com as cobranças dos meus pais e dos amigos sobre quando eu me formo? NUNCA mesmo. Dizer que a vida é linda é brega e é mentira, mas o fato da gente viver isso, de ter capacidade de fazer coisas maravilhosas tanto pra gente quanto pros outros, de ter um bichinho de estimação que te recebe na maior felicidade todos os dias, expressar as coisas através da escrita, da arte, do som, tudo isso faz a vida valer a pena. E ver pontos de vistas de diferentes pessoas é como ver um universo novo. Não gosta disso tudo? Tem outras saídas: construir algo novo, aprender uma habilidade diferente, desenvolver teorias, etc. Tem muita coisa pra fazer ou ser nessa vida. Mas não vai pensando que você tem a obrigação de fazer a diferença no mundo.
Foram 9 anos. NOVE anos nos quais eu fiquei lutando comigo mesmo. √Č muito tempo, eu sei, e foi muito tempo pra mim porque n√£o procurei ajuda. E me arrependo. Se eu pudesse voltar atr√°s, com toda certeza eu teria ido em um psic√≥logo e com toda certeza minha vida seria diferente. Eu s√≥ tenho a agradecer por eu ter sido sortudo o suficiente e acertado nas minhas ideologias e nas mudan√ßas que fiz. Mas repito: eu tive sorte, e contar com a sorte n√£o √© nada favor√°vel a longo prazo. Se voc√™ tem qualquer pensamento ruim como os citados acima, procura uma ajuda profissional. N√£o √© feio, n√£o √© lament√°vel, n√£o √© vergonhoso e voc√™ vai ser uma pessoa muito melhor.
Seis pessoas já foram pra um psicólogo por indicação minha. Dessas 6, zero ficaram neutras sobre o resultado. Todas elas ficaram assustadas com o resultado que deu, porque ajudou muito. E eu sei disso, porque já fui também, depois de tudo que passei e contei aí em cima. Foi a 3a vez que fui na minha vida, e cada vez que retorno é muito melhor.
Só não desiste.
submitted by cocacolacomcafe to desabafos [link] [comments]


2016.07.18 14:45 999Luzeiro A praia est√° perdida

publicação original no Medium
Eu sempre subi √†quele terra√ßo em dia de festa. A arquitetura brutal, o piso grafite e a irremedi√°vel falta de uma paisagem que preste (comum √† capital, ali√°s), jamais foram capazes de reduzir a alegria que sinto ao visitar minha √ļnica irm√£. Percebo, desta vez, que o luto se expressa pelas varizes nas paredes que rodeiam a escada, no metal frio e azedo do corrim√£o e, finalmente, na sensa√ß√£o de pisar em um cinzeiro proporcionada pelas placas erodidas do piso. A feiura √© oportunista, e no dia de hoje, saiu em carnaval.
L√° estava o meu cunhado, abaixo de uma das pontas do varal, investigando pelos espa√ßos vazios do gradeado uma possibilidade de escorrer pelas paredes externas do pr√©dio de nove andares. ‚ÄúVoc√™ comeu, Felipe?‚ÄĚ, foi o meu √ļnico cumprimento poss√≠vel, e ‚ÄúHum, comi‚ÄĚ foi a √ļnica resposta que lhe pareceu honesta. √Č claro que comeu ‚ÄĒ alguma vez na vida ‚ÄĒ mas duvido que tenha tido est√īmago para reiterar t√£o prazeroso e exigente h√°bito, hoje. Hoje n√£o, pois o meu cunhado, marido da minha √ļnica irm√£, perdeu o √ļnico filho. Meu √ļnico sobrinho e afilhado. Minha dor n√£o √© pequena, mas no topo do p√≥dio da orfandade inversa, temos a minha irm√£, coroada de espinhos e de cama h√° dois dias. Em seguida, Felipe Remador, est√°tico no terra√ßo em pleno inverno e com o est√īmago vazio. Talvez eu em esteja em terceiro lugar, junto com a namorada do L√©o, n√£o sei. O que sei √© trago as not√≠cias, como um rel√Ęmpago invis√≠vel que transformar√° os t√≠mpanos do ouvinte em peito.
‚ÄúEscuta, Felipe.‚ÄĚ E descrevo como um apresentador de telejornal excessivamente soturno o desdobrar dos fatos do dia: encontraram o corpo preso ao recife, poucas escoria√ß√Ķes, a causa mortis foi mesmo o afogamento, est√° tudo acertado para o enterro amanh√£, no Parque da Colina. Falei com a m√£e da namorada, ela n√£o vai, est√° em choque. Aquele menino, Raul, ainda n√£o voltou a Belo Horizonte. Me ligou do celular do L√©o, estava com uma voz tenebrosa. Est√° tudo pago, n√£o se preocupa. Eu estou muito bem empregado e n√£o √© hora de falar disso. E dou sequ√™ncia, como ventania: ‚ÄúPreciso te contar uma coisa, Lipe, o L√©o me ligou no dia anterior ao sumi√ßo, e a conversa estava mais estranha do que de costume‚Ķ‚ÄĚ
‚ÄúEu comi, sim. Tem macarr√£o, se voc√™ quiser.‚ÄĚ E me corta como se nos fal√°ssemos pela internet, com enorme atraso. E come√ßa a me contar do filho: coisas que eu j√° sei, mas s√≥ me resta ouvir mais uma vez.
Leonardo Remador nasceu com o cord√£o umbilical em volta do pesco√ßo, sem choro e nem desespero. Nasceu sorrindo. O obstetra achou que estava se contorcendo pelo sufoco, mas n√£o: era um sorriso mesmo. ‚ÄúEsse √© forte, corajoso‚ÄĚ ‚ÄĒ da√≠ ‚ÄėLeonardo‚Äô ‚ÄĒ disse, para encher o pai de orgulho, enquanto a enfermeira entregava o Pr√≠ncipe aos bra√ßos da m√£e. Era um Pr√≠ncipe, quase enforcado, por√©m um Pr√≠ncipe, como s√£o todos os rec√©m-nascidos ap√≥s a Proclama√ß√£o da Rep√ļblica. N√£o parava de se mexer e olhar ao redor, como se procurasse por mais um corda para se amarrar, e se apertar.
Come√ßou a andar com oito meses (o que o pediatra considerou um recorde) mas o pai j√° reparava que muito antes o guri j√° ensaiava ficar de p√©. Era uma brincadeira nervosa: apoiava-se nos joelhos e esticava as pernas tr√™mulas, e em dois segundos ca√≠a. ‚ÄúToda crian√ßa faz isso‚ÄĚ, diz o pediatra sem querer estregar o encantamento do rec√©m-pai. ‚ÄúN√£o‚ÄĚ, continua Felipe, ‚Äúele n√£o cai e chora. Ele cai a d√° a maior gargalhada. E se levanta e se joga de novo. E ri. Se j√° soubesse falar ia chamar isso de ‚Äėbrincadeira da gravidade‚Äô, sei l√°‚ÄĚ. E descreve a forma como o filho olha para baixo ao cair, como se quisesse testemunhar cada segundo do trajeto. ‚Äú√Äs vezes o L√©o tem um senso de humor maior do que o das outras crian√ßas‚ÄĚ, desconversa o jovem doutor, voltando os olhos adestrados ao monitor adestrador do computador.
Aos cinco anos chorava e dava esc√Ęndalos quando o pai se negava a dar uma volta de motocicleta com ele pelo quarteir√£o. Quando o seu desejo era atendido aos finais de semana, voltava para casa d√≥cil e calado, prestes a cair no sono e recompensar os pais com o sil√™ncio que o casal tinha antes do Pr√≠ncipe ter vindo ao mundo.
E ele foi ao mundo: no futebol, s√≥ jogava como goleiro pois nas outras posi√ß√Ķes n√£o podia atirar-se pelos ares e havia menos risco de levar uma bolada na cara. Na nata√ß√£o, perdia as instru√ß√Ķes do professor por se interessar mais pela apneia. Se deu melhor nas artes marciais, para o desespero de sua m√£e que n√£o suportava ter que aplicar curativos duas vezes por semana. Finalmente, na puberdade, a coragem e o senso de humor exagerado tornaram-se insuport√°veis. Gostava de provocar o pai pelo simples prazer de escutar sua voz engrossar e amea√ß√°-lo. Sentava-se na janela para ouvir m√ļsica e balan√ßava-se para frente e para tr√°s em um √Ęngulo cada vez menos agudo, cantarolando sossegado at√© que a m√£e o via do corredor e gritava de susto. S√≥ se interessava pelas garotas que j√° tinham um namorado, e aos treze anos voltou para casa com um olho roxo e os l√°bios rasgados por roubar um beijo de uma garota mais velha que estava a dois metros do cara mais velho ainda que a namorava. Os pais concordavam que aquilo n√£o era rebeldia pois sempre que aprontava alguma o adolescente passava os pr√≥ximos dois ou tr√™s dias obediente e calmo. Ele tinha ideias que beiravam a burrice e ap√≥s um longo ano de acidentes e notas baixas, foram atr√°s de especialistas, pois o primeiro m√©dico que o tocou estava mesmo errado. Leonardo, segundo o psic√≥logo, era um bom rapaz, mas era melhor ir ver um psiquiatra. O psiquiatra ‚ÄĒ que por curiosidade saltava de para-quedas nos finais de semana ‚ÄĒ tamb√©m n√£o viu nada de errado no garoto, mas por via das d√ļvidas, recomendou um amigo neurologista. Ap√≥s mapear o c√©rebro de L√©o, confirmou a boa sa√ļde mental do rapaz, mas seguiu uma pista em sua circula√ß√£o sangu√≠nea nos exames de rotina que o levava a crer que o n√≠vel de adrenalina era muito mais alto do que o normal. Com a ajuda de um endocrinologista constaram que a coragem de Leonardo era na verdade uma doen√ßa rara em suas gl√Ęndulas renais que produziam uma quantidade excessiva daquele horm√īnio, viciando das √≠ris aos pulm√Ķes, passando pelo cora√ß√£o e todos os m√ļsculos. O pai teve que vender a moto e um carro, mas pagaram o tratamento e aos dezesseis L√©o j√° n√£o andava mais com sua bicicleta sem freios pelo bairro. Apesar de n√£o ser dos mais espertos ou um dos mais bonitos, tinha um talento √ļnico com as mulheres, j√° que a possibilidade de rejei√ß√£o o atraia, coisa que n√£o existia em homem algum. Aos dezenove, arrumou uma namorada sem namorado, J√ļlia, e achava o m√°ximo quando a menstrua√ß√£o dela atrasava alguns dias, e √© claro que n√£o era nem um pouco favor√°vel ao uso de preservativos. Dizia apenas que era uma pessoa simples e que gostava das divers√Ķes curtas pois a vida, em si, era mesmo curta. Raul, um dos seus amigos mais antigos, ria e dizia que o problema √© que os momentos simples de L√©o poderiam encurtar a vida mais ainda. Era grato ao parceiro, pois mesmo sem se interessar por um baseado, L√©o era o √ļnico disposto a entrar com ele nas favelas para comprar aquele mato amassado.
Apreensivos, os pais viram o garoto tirar a carteira de motorista. Nenhum problema, a n√£o ser as multas por excesso de velocidade que eram pagas pelo pr√≥prio rapaz, que se virava na papelaria do pai do Raul. As pessoas que conviviam com ele acabaram se acostumando e at√© mesmo os pais deixaram de se preocupar tanto e esqueceram que ‚Äúo jeito dele‚ÄĚ era um problema s√©rio. J√ļlia, segundo um psicanalista freud- ou junguiano (precisamos diferenciar charlat√Ķes?), no fundo morria de tes√£o por caras irrespons√°veis, Raul (nas palavras de uma pedagoga do Ensino M√©dio) tamb√©m n√£o era exemplo de comportamento e assim Leonardo tocou sua vida abusando da sorte.
Acontece que, mineiro que era, L√©o poucas vezes foi ver o mar, e s√≥ o fez ao lado dos pais, que n√£o gostavam muito de areia. Aos vinte e um foi ao litoral capixaba com J√ļlia, amigos dela e o tal do Raul. Uns dois ou tr√™s dias antes da data da volta para casa, L√©o me ligou. Ouvi o pequeno trip journal que, n√£o sei porque, decidiu me contar ao custo de todos os cr√©ditos do seu pr√©-pago. Come√ßa bobo e vai escurecendo, como a apresenta√ß√£o de um palha√ßo tr√°gico, e eu me arrependo de n√£o ter anotado algumas partes, ou gravado a conversa toda.
Em janeiro, o sol derramava-se do alto e refletia na areia e no mar, queimando sua pele branca e agredindo seus olhos n√£o muito escuros. Gostou daquilo, mas logo √† frente estava algo que o seduzia muito mais, o pr√≥prio mar. N√£o entendia como tantas pessoas aguentavam ficar o dia inteiro sentadas em cadeiras de pl√°stico bebendo e comendo ao redor dos quiosques sem nem se aproximar das ondas. Logo no primeiro dia, subiu com Raul em um morro baixo com os p√©s descal√ßos e sentaram-se em rochas negras que um dia formaram um coral. Enquanto o amigo apertava um, viu uma mulher alta e bronzeada, de cabelos morenos e m√ļsculos bem definidos mergulhar nas √°guas e nadar por quatro minutos, sem parar, tra√ßando uma linha quase reta. Ao distanciar-se da praia, as ondas tornaram-se maiores e algumas pessoas j√° acenavam para que ela voltasse. Desapareceu atr√°s das ondas por alguns segundos, e, depois, sorrindo, nadou de volta como se estivesse em uma piscina rasa. Gostou daquilo.
Nadou com J√ļlia um bom tempo pela tarde, sem se arriscar de mais. Toda vez que olhava para a linha do horizonte, se distra√≠a a ponto de deixar de escutar o que a namorada falava. Lembrou-se de como aquela morena conseguiu ir t√£o longe com tanta calma. Gostou daquilo, mas gostou de mais. √Ä noite, ap√≥s uma bebedeira na casa dos pais de um dos amigos de J√ļlia, L√©o teve sonhos agitados. Quando acordou, lembrou-se de tr√™s: primeiro, mordia o cano de uma arma de fogo que um homem encapuzado que apontava para sua cabe√ßa, rindo da falta de coragem do assaltante em disparar. Em outra situa√ß√£o apontava para a namorada que trocava de roupa, mostrando para Raul. Por fim, sonhou que nadava no fundo de um lago e respirava normalmente embaixo d‚Äô√°gua, sem precisar voltar √† superf√≠cie.
Saiu sozinho para comprar p√£o e o que mais precisassem. Como em qualquer cidadezinha do litoral do Esp√≠rito Santo, encontraria uns cinco botecos para cada padaria ou mercearia ‚ÄĒ se a mercearia vender cerveja, n√£o sei dizer como ficaria a conta, mas enfim, por uma quest√£o estat√≠stica decidiu tomar uma antes de cumprir a sua miss√£o de levar comida √† namorada e aos amigos.
Ao final da primeira garrafa daquela cerveja fraca mas bravamente gelada, L√©o olha em volta e percebe a presen√ßa da nadadora alta e morena. N√£o a tinha visto ali, sozinha na outra ponta do balc√£o, que era em √©le e permitia tal ponto cego. A mo√ßa olhava para ele e achava gra√ßa da miser√°vel atitude do menino de quase torcer a garrafa que j√° havia acabado. Ofereceu a sua, cheia, e l√° vai L√©o conversar fiado com uma mulher linda e aparentemente solteira ao inv√©s de levar p√£o para a namorada. ‚ÄúEla achou o meu sobrenome o m√°ximo, tio. Disse que eu devia nadar muito bem, porque, ‚ÄėRemador‚Äô, n√©. Mas j√° devia estar b√™bada. Achava gra√ßa de tudo. Meio doidinha, acho que n√£o estava me dando mole, s√≥ tentando escapar de um cara l√° que n√£o parava de mexer com ela. Mas eu n√£o vi o cara. Eu estava tranquilo tamb√©m, c√™ sabe que eu gosto muito da J√ļlia. Mas ent√£o, c√™ lembra daquela menina que nadava comigo na equipe da escola? Voc√™ j√° deu carona pra ela. √Č a cara, tio. Eu pensei que fosse ela.‚ÄĚ Tirei o celular do ouvido para ver o tempo da conversa no display. 52 minutos. E o menino n√£o parava de falar. ‚ÄúVai comprar o p√£o, √ī sem vergonha.‚ÄĚ E ele me obedeceu e desligou.
Olha, apesar dos quarenta e poucos, eu sou um homem bonito. Na verdade, eu sempre fui. E mesmo assim, uma morena dessas nunca me abordou em boteco copo sujo de praia. Só uns tios e uns hippies para me pedirem o isqueiro. E eu adoro morenas, Léo.
Léo.
O que aconteceu com voc√™? O Raul me contou de uma briga com um rapazinho local ‚ÄĒ ali√°s, eu preciso achar o Raul ‚ÄĒ e agora as hip√≥teses florescem na minha imagina√ß√£o, que n√£o tem sono desde o contato da pol√≠cia.
Passaram os pr√≥ximos dias longe da praia, fazendo trilhas e visitando os arraiais √† procura de festa. Com J√ļlia sentada em seu colo (eu s√≥ via voc√™s nessa posi√ß√£o, encaixavam bem, at√©), estava em um boteco ao lado da pra√ßa da igreja de uma vila. Bebiam cerveja e viravam doses de cacha√ßa da pior qualidade enquanto um forr√≥ soava indecifr√°vel abafado pela voz de umas dezenas de pessoas que ocupavam as cal√ßadas. Foi surpreendido por um grito de Raul que levantava a voz para um adolescente, prestes a agredi-lo. Pediu para J√ļlia levantar-se, a garota n√£o atendeu imediatamente e quase foi derrubada no ch√£o por um homem de sorriso estranho que at√© o minuto anterior era o namorado que com carinho passava as m√£os quentes em suas pernas. A coragem imbecil que custou um carro e uma moto ao pai de Leonardo agarrava o adolescente pela nuca e bateu o rosto do rapaz com for√ßa em um banco de madeira e ferro da pra√ßa. Enquanto o sangue corria, algu√©m acertou uma cadeira nas costas de L√©o, enquanto tr√™s ou quatro homens mais velhos corriam atr√°s dele, que escapava. Sumiu no mato, rasgou a perna esquerda nos galhos (uma das escoria√ß√Ķes n√£o era de coral, mas aparentemente de vegeta√ß√£o rasteira) e encontrou uma estrada de terra que seguiu por mais de uma hora caminhando devagar, sentindo seu corpo em chamas por conta do cora√ß√£o que parecia ter dobrado de tamanho.
N√£o sabia o motivo da briga de Raul e nem se importava. Tamb√©m n√£o se importava da grosseria com a namorada e nem com o fato de que provavelmente alguns homens o perseguiam em uma caminhonete, moto ou jipe com peda√ßos de pau ou uma pistola semi-autom√°tica embaixo do banco. Exausto, alcan√ßou a praia. Sentou-se na areia e viu o sol nascer, vermelho como se estivesse se pondo. Realmente, o sol se punha para voc√™, meu afilhado. Viu uma pessoa caminhar onde as ondas quebravam, chegou mais perto e reconheceu a mesma mulher de cabelos negros que viu no primeiro dia no litoral. A do bar (que‚Ķ coisa √© voc√™, mulher? Shinigami?). Ela ignorou sua presen√ßa e mergulhou, nadando mais uma vez em ritmo forte e veloz, at√© desaparecer na espuma de uma grande onda que quebrou prematuramente. Mergulhou tamb√©m. Seu corpo em chamas mal percebeu como a √°gua estava gelada. Nadou em compasso ol√≠mpico esticando todos os seus m√ļsculos, estirando seus pulm√Ķes, sugando todo o ar salgado que havia em quil√īmetros c√ļbicos. Sem parar as bra√ßadas, abriu os olhos e viu que a mulher nadava ao seu lado, fechou os olhos que ardiam com o sal e quando abriu de novo, ela j√° n√£o estava mais l√°. Quando finalmente parou, viu que ela voltava, derrotada e humilhada pelo novo recordista daquela praia.
Enquanto a √°gua esfriava, olhou para o c√©u e ficou finalmente satisfeito de uma forma irracional, a √ļnica forma que sentia-se satisfeito na vida. Todo o seu corpo vibrava, o prazer era t√£o grande que balan√ßava os p√©s sem cansar pra manter-se na superf√≠cie sem se cansar. Quando o corpo doeu pelo frio que fazia, decidiu voltar, mas quando olhou para a praia, ela estava distante e uma n√©voa baixa ia convertendo-a em um ponto invis√≠vel naquela imensa massa azul. O corpo esfriou, os p√©s pararam de se mover, os bra√ßos penderam-se ao lado do quadril. Quanto maior o m√ļsculo, mais forte a dor da c√£ibra, e as panturrilhas de L√©o pareciam dois mam√Ķes. Afundou em sil√™ncio, e sonhou de novo. Sonhou que nadava em um lago escuro e podia respirar embaixo d‚Äô√°gua. Sonhou que estava na praia e nadava em dire√ß√£o ao horizonte. Quando quis voltar, a praia estava perdida.
submitted by 999Luzeiro to literatura [link] [comments]


2014.05.25 04:22 ClayDatsusara No Sonho

Lotte, Lotte Lotte, n√£o tens sonhos, dizes-me. E que n√£o falas daqueles objectivos infantis super-irrealistas, tipo Um dia quero ser como o Ayrton Senna ou O meu sonho √© ser m√©dica veterin√°ria. Lotttttte‚Ķ Teus gostos invejo-os. Tamb√©m eu gostaria de gostar de animais ao ponto de me tornar um anjo ao seu servi√ßo, mas n√£o tenho est√īmago para lhes ver as entranhas. Nem isso, nem tenho a coragem para me p√īr num carro a 300 km/h. J√° vi mortes na estrada a muito menos velocidade. N√£o √© preciso ir muito longe. Uma menina morreu √† minha porta, quando eu era tamb√©m uma crian√ßa. Eu n√£o vi, tinha ido num passeio da escola, mas pelo que me disseram, ela estava parada. Um carro atropelou-a.
Lotte, pequena Lotte, cora√ß√£o grande, como n√£o tens sonhos? Daqueles que as pessoas acordam e ficam a pensar gravemente no seu significado. Ser√° que n√£o tens preocupa√ß√Ķes? Se n√£o as tens, sou eu que fico preocupado.
Lotte, dorme um pouco sobre estas palavras, pensa em mim, e tenta sonhar, porque eu estou a ir-me de ti, a fugir das tuas m√£os escorregadias, e tu nem notas. Est√°s demasiado acordada para reparar. Se sonhasses como eu sonho, talvez abrisses os olhos e visses dentro do teu inconsciente as verdadeiras raz√Ķes do nosso fim.
No sonho, eu disse-te, Lotte, que tu estavas em minha casa, quando eu vivia com os meus pais, e eras j√° minha. Minha amiga, minha namorada, minha parceira de vida, minha parceira de discuss√Ķes, enfim, tudo o que alguma vez foste para mim. E a cena, repara Lotte, √© que, no sonho, eu sentia-me preso em casa, como se sair dela fosse fugir criminosamente de um futuro que me estava destinado nas estrelas.
Lotte, sabes que eu não planeei isto, mas são coisas que acontecem. Uma pessoa sonha e dá por ela que são pesadelos, vezes sem conta, todas as noites pesadelos (tu mesma mo dizes, sempre que acordo a meio da noite e tos revelo inconscientemente; a minha mãe costumava fazer-me o mesmo quando eu era adolescente mal comportado: acordava-me logo pela manhã, de rompante, e começava a fazer-me todo o tipo de perguntas. E eu, só para que me deixasse dormir, contava-lhe todas as verdades incriminatórias), e tu, Lotte, não és capaz de encontrar nem que seja uma réstia da verdade no meu inconsciente. São só pesadelos, dizes-me, volta a dormir e não penses nisso, não penses em nada. Como se fosse possível, Lotte, não pensar que, no sonho, o teu pai me perguntava se eu ia à missa, porque fez uma procura no Google e viu que os Luteranos iam à missa. Mas quem é que meteu na cabeça do teu pai que eu era Luterano?
‚Äē Isso foi s√≥ um sonho, cora√ß√£o‚Ķ
Eu sei Lotte, eu sei, desculpa gritar contigo. Não tens culpa. Mas não consigo deixar de pensar que, para o teu pai, eu tenho uma cabeça de cavalo, apenas por querer comprar um. Sim, porque um dia os carros vão tornar-se obsoletos e vamos precisar de um meio de transporte.
‚Äē Est√°s √© preocupado por causa daquela multa. N√£o te preocupes que n√£o vais ficar sem carta de condu√ß√£o.
Ai vou, vou. Lei de Murphy. √Č a terceira vez, talvez ma tirem definitivamente e eu tenho de voltar √† escola de condu√ß√£o, e apenas dois anos depois.
‚Äē Hmmm, eu acompanho-te, vou tirar a carta tamb√©m! :)
Não tem piada, Lotte. Tu já devias ter carta de condução. No sonho, tu ficas estática quando tudo à nossa volta entra em revolução (ou devo dizer colapso?), e eu sinto-me perdido, sem saber o que fazer, porque tu não tomas uma iniciativa. Devias ser mais como a tua irmã, nesse aspecto.
No sonho eu mato uma boneca.
‚Äē Quem √© a boneca?
Não sei, é uma boneca, em tamanho humano, ainda com sangue na boca, que eu atiro para a mala do carro da tua irmã, sem que ninguém se aperceba, como se eu quisesse atirar os meus problemas para outra pessoa e aliviar o peso no meu peito.
Mas Lotte, olha o que acontece depois, no meu sonho, a tua irm√£ √© mandada parar pela pol√≠cia, que est√° ali √† frente, na rotunda, toda a gente nos diz! E eu tenho medo que encontrem a boneca morta na mala. A boneca ainda tinha sangue a escorrer-lhe das articula√ß√Ķes!
E eu n√£o podia sair de casa, estava preso (a ti? √† minha vida? a n√≥s? aos filhos? √† situa√ß√£o mais c√≥moda e, cruelmente, mais sustent√°vel?), e o m√°ximo que podia fazer era subir ao telhado, para tentar ver o que era imposs√≠vel ver. Mas eu sabia exactamente o que estava a acontecer. Era a pol√≠cia, eu sabia, e a pol√≠cia faz o que tem a fazer. S√≥ me resta esperar. Tu seguias-me son√Ęmbula.
Lotte, chega aqui, diz-me se sonhaste comigo nos √ļltimos tempos? N√£o te lembras? √Č sorte ou azar? Nem sonhas com a tua fam√≠lia? No sonho eu andava √† procura de uma garrafa de vinho que a tua irm√£ trouxe do Brasil. Ora, se tu n√£o a bebeste, e o teu pai diz que tamb√©m n√£o a bebeu, e que a viu na semana passada na porta do meio do arm√°rio da sala, e eu tamb√©m n√£o me lembro de a ter bebido, ent√£o o que √© feito dela? Quem de n√≥s est√° a mentir?
‚Äē S√£o s√≥ sonhos, meu anjo, dorme. H√° muitas coisas que eu tamb√©m n√£o me lembro.
Pois, dos teus sonhos. Mas Lotte, repara bem, no meu sonho eu chamava pelos nomes daquelas pessoas que deixei de ver quando casamos. Estava no cimo do telhado e gritava √†s pessoas que passavam l√° em baixo, na rua: Ursula! E tu repetias o meu grito, como um eco indesejado, que me distra√≠a da pessoa l√° em baixo, que me acenava e eu n√£o via, por olhar agora para ti, cego para o resto das pessoas. Aline! E tu, Aline, Aline, Aline‚Ķ E a Aline talvez me tenha cumprimentado, l√° de baixo, e eu n√£o vi. At√© quando eu chamei pelo nome do Jeremy! Tu repetiste Jeremy, e eu deixei simplesmente de o reconhecer no meio da multid√£o, e, se calhar ele lembrou-se de mim. Porque s√≥ tenho olhos para ti. Est√°s em n√ļmero um da minha lista, no meu sonho, pelo menos.
‚Äē Um beijo ‚Äď d√°s-me um beijo ‚Äď vou dormir meu amor ‚Äď e vais mesmo, deixas-me a reflectir sobre o sonho.
No sonho, o Andrew tinha dois irm√£os que eu n√£o conhecia. No sonho, o Oscar ia para o Zaire, em viagem de paz, coitado. E tudo me parecia estranho e irreal.
‚Äē Nos sonhos, tudo √© estranho e irreal. Nada √© verdade.
Mas o que sabes tu, Lotte, se n√£o te lembras dos teus sonhos? Dizes que eu s√≥ me lembro porque tenho a cabe√ßa cheia de preocupa√ß√Ķes, que na verdade s√£o pesadelos.
Eu digo-te o que √© real, no sonho. √Č a tua constante presen√ßa como objectivo da minha vida. O desgaste chega aos meus sonhos! De tanto te amar deixei de te suportar. Nem nos meus sonhos tenho privacidade, e depois conto-te tudo, quando acordo. N√£o vale a pena esconder nada, tu estavas l√° para ver.
Sabes o que eu acho Lotte? Acho que tu não te lembras dos teus sonhos porque nunca estás neles. Estás sempre nos meus, como personagem secundária, omnisciente. Por favor, volta para os teus sonhos. Se é que algum dia os frequentaste…
Lotte, sabes o que te aconteceu hoje no meu sonho? Lotte? J√° est√°s a dormir? √ďptimo. Espero que sonhes com isto tamb√©m, para ficarmos a saber o mesmo sobre n√≥s pr√≥prios.
Uma vez perguntaste-me se, em caso de trai√ß√£o, eu queria ser o primeiro ou o √ļltimo a saber. Que pergunta √© essa?
‚Äē N√£o √© sequer uma hip√≥tese, querido, nunca te trairia, mas a tua resposta pode dizer-me tanto sobre ti.
N√£o me conhecias bem, na altura. E, se calhar, querias era que eu te fizesse a pergunta a ti, de seguida.
Como é que podes não sonhar com isso? De certeza que sonhas… Sabes o que se passou no meu sonho? No sonho eu levava uma boneca para casa, só que essa boneca tinha nome, e carne, e vida nos membros, e eu fazia questão de te mostrar que a boneca podia ser real.
A tua respira√ß√£o √© lenta. Os teus olhos parecem n√£o se mexer debaixo dessas p√°lpebras cansadas. Espero que estejas a sonhar com isto. Tu estavas no meu sonho, tu viste. No sonho, tu n√£o percebias. Espero que percebas. N√£o quero que sejas a √ļltima a saber.
submitted by ClayDatsusara to escrita [link] [comments]


2014.04.03 20:56 PabloAimar10 AS MINHAS NAMORADAS NÃO SÃO DOENTES PELO BENFICA

Texto retirado de "Ontem vi-te no Est√°dio da Luz"
Nunca tive uma namorada doente pelo Benfica como eu. Tenho v√°rios amigos doentes pelo Benfica como eu, o meu Pai era doente pelo Benfica como eu, o meu av√ī doente pelo Sporting como eu pelo Benfica, mas uma namorada doente pelo Benfica como eu, nunca tive. Dou-me por satisfeito quando elas dizem, entre o enfado e a vontade de me agradar: "sim, sou do Benfica". Assim, como quem diz: "gosto de iogurtes de manga" ou "n√£o est√° mau tempo, n√£o", enquanto pintam as unhas, fazem um charuto, comem cereais ou d√£o festas ao c√£o.
Invariavelmente pego naquela frase ("sim, sou do Benfica") e lan√ßo-a na estratosfera do pensamento, onde ela rodopia, consome os trilhos todos terrestres das entretelas do c√©rebro, √© filtrada √† velocidade da Luz e, antes que venha outra frase atrelada, j√° todo eu estou inundado por uma certeza fingida de que finalmente, anos e anos depois da procura, encontrei uma mulher que √© t√£o doente pelo Benfica como eu. √Č uma mentira. E √© fingida. Mas faz-me bem, n√£o v√° eu assinar logo ali os pap√©is do div√≥rcio enquanto vocifero de forma grotesca: ¬ęO Benfica n√£o √© um iogurte, foda-se!¬Ľ.
A M. n√£o gostava de futebol; era artista, aos 13 anos j√° pintava oceanos nas aulas de matem√°tica. Fic√°vamos sempre juntos, na fila do meio, l√° atr√°s. Escrev√≠amos bilhetes um ao outro, com as nossas pernas juntas formando as pernas de outro ser entre n√≥s, que era a minha perna direita e a esquerda dela - o amor adolescente ali todo vingado, n√£o chegando o toque, precisando de palavras escondidas em pap√©is dobrados que d√°vamos um ao outro por baixo da mesa, s√≥ para fingir que ainda havia coisas a dizer. Nos intervalos, entre beijos, apalpa√ß√Ķes, cigarros, risos, ela perguntava-me: ¬ęgostas do Benfica porqu√™?¬Ľ, e eu nunca sabia explicar-lhe o que estava t√£o dentro de mim e t√£o fora dela. Foi s√≥ quando - ap√≥s o Benfica-Vit√≥ria de Guimar√£es de 1994, jogo de festa do t√≠tulo, jogo em que pude pela primeira vez pisar o relvado da Luz e o meu Pai me i√ßou para cima da trave da baliza do Neno - no dia seguinte apareci com os bolsos cheios de relva e a espalhei por cima da mesa numa aula de Religi√£o e Moral, que ela percebeu. O amor veio todo numa pergunta que transportava todas as certezas do mundo: ¬ętu √©s doente pelo Benfica, n√£o √©s?¬Ľ
Conheci a S. porque n√£o podia passar a minha vida sem conhecer a S., apesar da timidez e medo que ela distribu√≠a por todo o eu dentro de mim. Mulher gloriosa, de beleza lunar, cabelos como chicotes nos reflexos do Sol, menina doce, tr√≥picos todos aos desvarios, mundo ao contr√°rio. Era benfiquista de iogurte, dava-me esperan√ßa e acalmava-me as dores enquanto se passeavam pelo campo estrelas como Pembridge, Le√≥nidas ou Jorge Soares. Eu dizia-lhe: ¬ęisto n√£o √© o Benfica¬Ľ, e ela, sem entender bem o que seria o Benfica, amaciava-me as dores com o carinho milenar aprendido n√£o pela forma ou pelos h√°bitos mas, antes disso, pelos s√©culos de amor massacrado que as mulheres t√™m dentro e carregam com desprezo e orgulho, no fim com ternura. Vivemos o Benfica juntos pela r√°dio e pelo ¬ęA BOLA¬Ľ, ouvindo relatos nas nossas viagens ou quando lhe pedia para ir lendo o jornal enquanto eu conduzia. ¬ęVai directa √†s p√°ginas do Benfica¬Ľ, e ela lia-me integralmente aqueles textos enfadonhos do Serpa, do Santos Neves ou do Delgado. O que n√£o faz uma mulher por um homem; o que n√£o faz um homem pelo Benfica.
A T. era sportinguista. Tinha vezes em que ia ao est√°dio com o Pai. Fui com ela ver um Sporting-Boavista, um jogo em que pela primeira e √ļnica vez apoiei a equipa de arbitragem. Por mim, era expulsar aquela gente toda - tudo para a rua, se poss√≠vel ap√≥s les√Ķes grav√≠ssimas de anos a fio ou mesmo crudel√≠ssimos finais de carreira. Levava o seu cachecol verde e branco aos ombros e eu, confesso, apesar da evidente m√° escolha de cores, olhava para ela com um encanto tal que at√© consegui perdoar-lhe o facto de ter sido campe√£ nacional aos gritos para cima de mim, numa histeria de sede e fome que s√≥ 18 anos podem dar aos adeptos. Depois beijava-me, tinha pena de mim e do Benfica que era eu. Com pouco orgulho, revelo: tive amor por aquela alegria e por aquela pena. J√° que o Benfica n√£o podia ganhar, que fosse a T. a campe√£. E, no final da noite, acab√°mos os dois com o t√≠tulo nacional.
Como falar da D.? Uma mulher esquisita - n√£o no termo portugu√™s, mas no dos outros pa√≠ses. Uma mulher fenomenal. Curios√≠ssima, peculiar, melanc√≥lica, destrutiva, sonhadora. O pai um senhor benfiquista dos sete costados - tardes e manh√£s e noites a fio a debatermos Benfica -, a m√£e recatada, quase ausente. D. tinha o orgulho de filha que ama o pai de todas as formas lindas que podem servir de amor ao pai e, por isso, n√£o porque o futebol lhe dissesse ao ouvido e ao cora√ß√£o coisas irredut√≠veis de adepta, era do Benfica. Chateava-se, D., no entanto, com as minhas recorrentes incurs√Ķes aos fins-de-semana atr√°s da equipa. ¬ęN√£o podes passar um caralho de um S√°bado sem ires para Guimar√£es?¬Ľ; ¬ęTens mesmo de ir esta Sexta para Coimbra?¬Ľ. Eu fazia um olhar de c√£o abandonado, ela dava-me festas no lombo e no dia a seguir l√° estava eu a enviar-lhe mensagens: ¬ęEstamos a perder¬Ľ, e punha um tristonho para ela n√£o se zangar muito comigo. Uma vez levei-a a Alvalade, para ela viver o Benfica no est√°dio do rival. Ao intervalo, est√°vamos a ganhar 2-0 e ela estava orgulhosa de mim: afinal fazia sentido tudo aquilo. Depois acab√°mos por levar 5-3, num jogo memor√°vel. Continuou com orgulho de mim e do Benfica. Uma mulher de facto ¬ęexquisite¬Ľ.
A E. era actriz. Detestava tanto o futebol que nem se importava de, amando-me, me ferir de todas as formas poss√≠veis sempre que o Benfica empatava ou perdia. Nunca conheci mulher mais terna na vida terrestre - afinal, a vida sem bola - e mais cruel quando havia futebol pelo meio. A E. tinha, digo eu, ci√ļmes do Benfica. Em 2011, na meia-final da Liga Europa, sa√≠ da Pedreira √† procura de uma arma que acabasse logo ali com o sofrimento. Queria alguma absolvi√ß√£o. Liguei-lhe e ela riu-se. Vingou-se do Benfica em mim, rindo-se e rindo-se e rindo-se e rindo-se. Quando acabou de rir, riu-se mais um bocado. A E. achava que o futebol era uma menoridade existencial - debate que tivemos, vezes sem conta, entre muito elemento que diverge da sobriedade e que, ainda assim, nunca resolvemos. Apeteceu-me gritar Benfica numa pe√ßa em que ela fazia de escrava e a luz favorecia o grito an√≥nimo. N√£o o fiz. Anos depois, cheguei de Amesterd√£o com uma cara de tr√™s mil mortes. N√£o me disse nada; abra√ßou-me. √Ä sua maneira, h√°-de ser do Benfica at√© ao fim.
Tu és a C.. Tens dentro de ti o que diferencia os seres: tens amor. Vamos trilhando sem medos o que ainda está para vir. Melhor maneira de dizer não tenho: quero ao Benfica o que quero para nós: eternidade.
submitted by PabloAimar10 to benfica [link] [comments]


Estou a procura de um namorado 12 Dicas Para Arranjar Uma Namorada - YouTube Como tirar a virgindade de uma mulher - YouTube XAVEQUEI UMA MENINA NO FREE FIRE E MINHA NAMORADA OUVIU TROLLANDO PLAYERS - AMIGA DA MENINA ESTRESSADA A PROCURA DE UM NAMORADO (COM WEBCAM) GTA V: A procura de uma namorada! (MOMENTOS ENGRA√áADOS) VANTAGENS DE NAMORAR UMA MULHER - YouTube PAGUEI UMA MENINA PARA SER MINHA WEBNAMORADA POR 1 DIA ... Sexo Oral: Como chupar uma mulher direito ūüėõ - YouTube

Mulher procura homem (idades 25 a 60)

  1. Estou a procura de um namorado
  2. 12 Dicas Para Arranjar Uma Namorada - YouTube
  3. Como tirar a virgindade de uma mulher - YouTube
  4. XAVEQUEI UMA MENINA NO FREE FIRE E MINHA NAMORADA OUVIU
  5. TROLLANDO PLAYERS - AMIGA DA MENINA ESTRESSADA A PROCURA DE UM NAMORADO (COM WEBCAM)
  6. GTA V: A procura de uma namorada! (MOMENTOS ENGRAÇADOS)
  7. VANTAGENS DE NAMORAR UMA MULHER - YouTube
  8. PAGUEI UMA MENINA PARA SER MINHA WEBNAMORADA POR 1 DIA ...
  9. Sexo Oral: Como chupar uma mulher direito ūüėõ - YouTube

Aprenda a como fazer sexo oral bom de verdade em sua mina com a ajuda da Dora Figueiredo. Quer saber mais ? Entra l√° no nosso site, tem v√°rios conte√ļdos sobr... Hoje contamos pra voc√™s quais s√£o as vantagens que n√≥s notamos por namorar uma mulher. O video √© apenas entretenimento kk Estou a procura de um namorado sou Maria tenho 57anos.. - Duration: 1:29. Andressa Santana 304,450 views. ... MENINA PROCURANDO NAMORADO - Duration: 0:16. FAGNER FRANCISCO 461,268 views. Webnamorada: https://twitter.com/Patrounna Eduzati: https://www.youtube.com/watch?v=jUETNrIeu6Y ūüĎáūüĎáūüĎáūüĎáūüĎáABRA A DESCRI√á√ÉO ... V√≠deos de Cl√°ssicos! 1,836,950 views 4:42 GTA 5 #23: Trevor Apaixonado / Mans√£o do Franklin / Lamar em Perigo - PS3 / Xbox 360 HD Gameplay - Duration: 33:25. DEI EM CIMA DE UMA MENINA na FRENTE DA MINHA NAMORADA no FREE FIRE!! (trollagem) - Duration: 17:39. Dois Betas 896,059 views. 17:39. IRRITANDO MINHA NAMORADA NA TPM - Duration: 10:06. Deixe seu Like, se Inscreva e ative o Sininho pra n√£o perder os pr√≥ximo v√≠deos. H√° v√°rios v√≠deos pra voc√™s darem altas risadas TT - @WearkGamer Insta - weark_oficial ‚≠ź Fanpage - /Weeark ... Como tirar a virgindade de uma mulher. O v√≠deo √© baseado nas minhas experi√™ncias. Como arranjar uma namorada. Voc√™ √© um cara solteiro que est√° a fim de mudar esse status? Tem poucas amigas porque n√£o sabe como conversar com mulheres, mas q...